sexta-feira, 17 de abril de 2009

Vamos ver dançar tango!

PortoTango

ao vivo

apresenta:

Sin esquinas

novo CD

Sábado, 18 de Abril - 21.30h

Bailarinos:

Fernando Jorge & Alexandra

Inês Tabajara & Fernando Leal

Auditório Mário Rodrigues Pereira
Centro Social Padre Ramos
Lavra, Matosinhos

Reservas pelo: 96 9746779/ 91 9851618

***
www.portotango.net


Eu vou, claro. Se puder, não falte também.

Acredite que vai ter uma excelente surpresa!...


Já agora um pouco mais sobre o Tango Argentino

Origens do Tango Argentino

Pelos finais do século XIX, devido a misturas das diferentes formas musicais levadas pelos imigrantes com a dos crioulos, descendentes dos antigos conquistadores espanhóis e certamente, algumas outras influências, nasce um tipo de música, quase que como a expressão folclórica da população mais pobre que se juntava nos subúrbios de Buenos Aires.

Inicialmente era apenas instrumental e destinava-se apenas a ser dançada, embora, por vezes, o povo se encarregasse de lhe juntar letras jocosas.

Como naquele tempo era considerado obscena a dança de homens com mulheres, uma vez que tinha que existir abraço entre ambos, era apenas praticada nos bordéis.

Como os bordéis eram caros e o dinheiro pouco, em público dançavam homens com homens com vista a aperfeiçoarem cada vez mais as suas performances sem que para isso tivessem de gastar dinheiro.

Grupos de homens começaram a treinar, a improvisar e inovar, criando movimentos novos que permitiram um grande desenvolvimento desta dança. Se um dançarino era bom, atraía as atenções das mulheres… surpreendendo-as. Certamente que dançar entre homens, nada tinha a ver com homossexualidade.

Foi assim durante muitos e longos anos. O tango era dançado por gente humilde e do povo, nos bordéis, já que famílias decentes não se expunham.

Por volta de 1910 o Tango é “exportado” para Paris que vivia a febre do modernismo. Rapidamente é aceite e difundido pelos outros países, inclusive a alta sociedade argentina, dado que Paris à época, era o epicentro cultural. É claro que havia também as alas conservadoras que o condenavam como haviam feito já com a valsa, por exemplo…

É aí por volta de 1917 que começam a surgir os tangos cantados; tangos feitos para musicar uma letra. Consequentemente surgem os cantores de tango e converte-se num tipo de música já não exclusivamente para dançar.

Carlos Gardel era já um sucesso estrondoso em 1928. Na década de 50 Astor Piazzola rompe com o tradicional, adicionando influências de Bach, Stravinsky assim como de Cool Jazz. O tango passa a ser executado com um elevado grau de profissionalismo embora seja aceite apenas por uma parte da sociedade, sendo até ridicularizado pelas camadas mais jovens inebriadas pelo Rock’Roll.

Assiste-se, actualmente, a um recrudescimento do interesse pelo Tango argentino nas suas diversas vertentes: a milonga, o vals…

Sem comentários: