quarta-feira, 24 de junho de 2009

Um dos meus presentes especiais.


Se o poema
fosse feito de beijos
que se dão e que se esquecem
ou se fosse como os sorrisos
que, antes de esmorecer,
tantas vezes nos enternecem,
talvez eu não escrevesse...

O meu poema,
é coração que não acaba,
cada letra um batimento,
escrevo-o com sentimento,
com amor por entre os dedos,
como se lho oferecesse...

De Ruth Ministro especialmente para mim! (estou- me a babar...).

9 comentários:

Tais Luso de Carvalho disse...

Poxa...que mimo lindo! Gracioso.
E merecido.

Beijos, amiga. Hoje fui a primeira!! Apareceu no meu painel logo que abri.

tais

Donagata disse...

Obrigada. É mesmo de ficar orgulhos. Não acha? Com um mimo destes!

wallper.lima disse...

Oi Gata! Estou aqui também para agradecer seu comentário em meu blog - sobre as "As meninas" - e dizer que fico feliz de saber que realmente aquilo que "tento" passar, é captado através daquilo que escrevo. Realmente o que mais aprendemos na Facul.na mátéria: História da Arte, é descrever o quadro, detalhe por detalhe, e o que o artísta quis passar .
Sobre esse presente de niver - cartão-poema, não há nada mais real, e eterno do que palavras expostas de uma forma tão doce e sincera.
Bjos.
Wal.

Donagata disse...

É verdade. Concordo inteiramente. É saído do fundinhodo coração.

Beijos.

susana disse...

Uma graxista essa Ruth. Já não me aguento dos cotovelos! A sonsa, a escrever para gatas em vez de escrever para pessoas. Uma graxista. O que vale é que eu não sou invejosa, não mesmo...
puft.

;)

Donagata disse...

O problema é que não sei se ela se entenderá tão bem com o peixês quanto se entende com o gatês...

susana disse...

Ora, ora! Peixês é fácil! É só meter água!

:DDD

pin gente disse...

um presente do coração
é tão bom receber prendas assim!
parabéns a quem escreveu
e a quem o recebeu,
seguramente o mereceu.

beijos

(manda-me embora senão ainda aqui fico a dormir!)

Donagata disse...

Eu nunca mando ninguém embora, sobretudo quando até nem me importo que durma por aqui.

Quanto ao presente... bem, sou realmente uma privilegiada em relação aos amigos que tenho...