domingo, 27 de novembro de 2011

As palavras


As palavras escapam-se-me magras e vazias

numa tentativa frustrada de iludir o vazio de mim.

Palavras castanhas, cinzentas, algumas ainda roxas,

às quais subtraio o sentido, o som, o calor, a luz, o cheiro…

Palavras que tomo de empréstimo mas que não enlaço,

que não toco, que não me tocam, que não sinto minhas…

Palavras desabitadas apenas…

Apenas palavras.

domingo, 6 de novembro de 2011

E há o natal!


E há o natal!
E as luzes, as cores, o frio
e a música, as luzes, as fitas e o frio
e os embrulhos, a ansiedade, o frio, os cheiros, e as vozes,  
as luzes, os fritos, o pinheiro e os cheiros e o medo
e o frio, os anjos, as vozes, o azevinho, o nascimento
os irmãos, e os sobrinhos e os cheiros, a incerteza, a música,
o pinheiro e as bolinhas, o frio, os sininhos, a lareira,
as vozes, os pastorinhos, a saudade…  e a magia,
a ansiedade e a música e eu e tu e tantos …  
afinal,  não tantos… 
e o natal!