domingo, 24 de maio de 2009

Surprise!

Hoje foi um dia repleto de surpresas.

Em boa verdade as surpresas começaram logo ontem de manhã quando o meu gatão, muito afoitamente, teve que ir comprar adubo para a relva mesmo naquela horinha boa de uma manhãzinha de sábado, parte do pouco tempo que estamos juntos.

Fiquei danada, assanhada mesmo. Por um lado porque poderia escolher outra altura, por outro porque penso que a relva já não aguenta com mais nada em cima. Se não morrer da doença vai correr o risco de morrer da cura.

Bem, voltemos às surpresas. Lá fiquei a fazer o almoço, a meter umas roupas na máquina, a dar um jeitito à casa, enfim, a brincar às donas de casa ( o que não é surpresa nenhuma) enquanto ia “rilhando cacos” cá para dentro, quando me apercebi que o adubo tardava a chegar.

Lá chegou, por fim, e fomos almoçar. Confesso que não estava na melhor das disposições e não me apetecia minimamente fazer conversa. Para não me aborrecer, acabado o almoço e arrumadas as tralhas, peguei no livro que estou a ler e deixei-me ficar sossegadinha na sala para não incomodar ninguém enquanto ao meu lado se ia lendo o Expresso, a revista, enfim jiboiando.

Percebi, entretanto, um burburinho que fiz por ignorar. Até porque ler António Lobo Antunes requer os dois neurónios muito atentos e viradinhos para o mesmo lado. Tocou o telefone, a minha filha atendeu e não era nada comigo. Mais tarde tocaram à porta e foi também a minha filha que foi atender pelo que imaginei que fosse algum amigo/a e continuei a minha leitura. Até porque, a bem dizer, depois do adubo não estava em dia de grandes confianças.

Eis que, daí por pouco tempo me chamam ao jardim e, surpresa das surpresas, vejo plantado em cima da relva um baloiço de jardim que eu cobiçava há já bastante tempo (desde que se estragara o anterior).

Fiquei francamente surpreendida. Não fazia anos, não estava com um humor digno de ser premiado! Não entendi.

Então lá me explicaram que era a prenda do dia da mãe que não havia sido comemorado (nada que me incomode verdadeiramente) pois a família andava toda embarcadiça, cada um para seu lado.

Fiquei, obviamente muito contente (fiquei muito mais do que se tivesse sido no dia, teve outro significado), agradeci muito, fiquei muito mais bem-disposta quase esquecendo o caso do adubo e… começou a chover. Ou seja, não pude estrear a minha prenda.

Hoje, dia em que tinha cá os filhos a almoçar, portanto dia já de si muito agradável, lá estive a mostrar o meu baloiço a todos (os que o tinham comprado já conheciam) e, no fim do almoço, eis que, para acompanhar o café, o meu marido chega com um belíssimo e saborosíssimo bolo (não sei de onde) para comemorar o dia da mãe agora que estávamos todos juntos.

Pois bem, o bolo “era o adubo”.

Para que eu não desconfiasse de nada e fosse uma verdadeira surpresa, quando o meu gatão foi buscar o bolo que havia encomendado teve que dar uma desculpa. Não encontrando outra melhor, improvisou com o adubo para a relva.

Fiquei algo embaraçada embora, diga-se de passagem, não tenha tido culpa nenhuma. Se era adubo, para mim era adubo mesmo. A verdade é que lá comi o bolinho, excelente, diga-se de passagem, a acompanhar o cafezinho.

Devo-vos dizer que foi o melhor “adubo” que me lembro de ter comido!

Já agora um conselho, amigas. Fiquem calmas, quando os vossos mais que tudo forem buscar adubo, remédio para os caracóis, para o piolho ou para a lepra do pessegueiro. É que atrás disso pode sempre vir uma agradável surpresa. Ou então vem mesmo o adubo que em doses decentes também faz falta…

9 comentários:

Sfia Loureiro dos Santos disse...

Ora muito bem dito. Que belo dubo!

Donagata disse...

Este é biológico. E degradável.

nuvem disse...

Apesar de mascarada de adubo, que não é propriamente a coisa mais cheirosa do mundo, a surpresa foi romântica sim senhor :)

Beijinhos

Donagata disse...

Por acaso até foi. E saborosa também.
Beijinhos

susana disse...

Só foi pena não ter feito uma hidro no dia antrior para compensar o adubo, sua faltosa (eheheheh!).
Foi lindo! Gente catita a sua!

Donagata disse...

Não fiz a hidro porque o meu marido foi buscar o "adubo"!

Em compensação fiz hoje cárdio e amanhã farei hidro.

Tem de ser que a gente com adubo medra muito.

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Linda a surpresa e lindo o baloiço!
Parece-me até que gostava de o ir experimentar lá para 10, 11 de Junho... Posso? ;)

Beijinhos!

[tenho muitas saudades de ti, donagata, do teu gatão e dos teus gatinhos :))]

Cristina Loureiro dos Santos disse...

Ah! Sabes que tenho uma bebezinha de um mês fofíssima, daquelas que mia, e ainda nem tem nome? Tem ares de siamesa e olhinhos azulinhos muito claros. A Sofia deu às minhas crianças...

Vou enviar-te fotografias :)

:**

Donagata disse...

Acho que podes. Penso que não vamos a lado nenhum. Contudo eu confirmo pois, como vês, por vezes tenho assim uns adubos com que não conto mesmo no que toca a saídas. Não é a primeira vez.

Mas penso que não.
Gostaria muito que viesses.