segunda-feira, 4 de maio de 2009

Ainda sobre o Dia da Mãe

Neste caso o dia de outra mãe.
É uma amiga minha, cujo filho, tem um dom natural para a escrita desde que me lembro...
Na última tertúlia em que estivemos juntas, essa amiga, de forma muito orgulhosa que só era ultrapassada pela comoção, leu o poema que passo a publicar:


(Maternidade de Almada Negreiros)
Mãe…

És o porquê do meu bom humor
E a parte dele que não se esvanece.
És a base do meu bem- estar,
A constante terrena do meu voar,
Que nunca foge nem desaparece.


Sou feliz por lá estares,
Sou aplicado por ajudares,
E mundos futuros salto
Pelas grandes quedas de alto
Que me ensinaste a dar.


Se sou grande é porque és pequena,
Se consigo é porque tentaste,
Se tenho é porque perdeste,
Se ganho então ganhaste,
Porque sempre por trás de mim ficaste


Sou tudo - da cabeça aos pés! -
Quando consigo sê-lo direito.
E só sei que sou, porque sei:
Que só o sou porque és.


Fernando Miguel Montenegro de Sá (18 anos)

E como eu compreendo tão bem esse seu orgulho!
Parabéns amiga pelo filho que tens. Não só pelos seus dotes de poeta, mas pelo seu amor por ti.
É bom ser-se mãe assim...

2 comentários:

pin gente disse...

tão bonito

qual a mãe que não gostaria de se ler assim?

beijos
luísa

Donagata disse...

Não há, julgo eu...