sexta-feira, 31 de julho de 2009

Quando for grande quero dançar assim...



Passe a publicidade à água, sobre a qual não obtenho qualquer proveito, divirtam-se com este anúncio verdadeiramente giro. Vejam as carinhas dos bebés...

Cessar


(Imagem: "El hugar de los olvidos" de Luísa beatriz Osdoba)

Quando nos falta o ânimo,

e a nossa alma começa a ceder.

Quando sentimos que se dissipa o ardor

e constatamos quão difícil é viver.

Quando se complica a simples tarefa de pensar

e tudo o que mais queremos é esquecer.

Quando o corpo nos desabriga

e também nos começa a falhar…

Será que estamos na altura de cessar?

quarta-feira, 29 de julho de 2009

“leite derramado” de Chico Buarque


Fiquei com imensa curiosidade acerca deste livro o qual comprei logo que tive oportunidade. E como acontece muitas vezes, lá o meti na frente de todos os outros que aguardam pacientemente a sua vez. E são muitos, reparo agora… O tempo é tão pouco!

Bem, vamos ao livro. Acabei de o ler.

Foi, para mim, uma agradável surpresa.

Pesem embora as belíssimas letras (poemas) que tem composto ao longo da sua vida, tenho (e penso que terei sempre) a ideia de um Chico Buarque músico, compositor de excelência, cantor, mas escritor, não.

Contudo, os dois livros que li dele, podem perfeitamente facultar-lhe esse epíteto.

O que li foi um texto muito bem construído quer ao nível exegético quer de estilo.

Todo o livro se desenvolve através de uma longa narrativa feita por um ancião para…

Aí, ele conta todo o percurso da sua vida (extremamente longa, tem mais de cem anos) sempre centrado no amor que sente ainda pela mulher. As personagens que se vão desenhando ao logo da extensa história do ancião são de uma precisão extrema na sua construção quer ao nível plástico quer ao nível psicológico ajudando assim a criar, por vezes, um clima de dramatismo em situações de aparência burlesca ou indefinida. Nestes casos penso que podemos encontrar bem patente a ironia própria de Chico Buarque.

Também muito interessante é verificar quão bem reproduz a desarticulação das ideias do ancião, conseguindo contudo uma narrativa perfeitamente articulada que, por isso mesmo, vai prendendo irremediavelmente o leitor. Expondo um enredo ora com factos verídicos, ora omissos e intuídos nas entrelinhas; ora irónico, ora dramático, consegue, além de um excelente romance, ilustrar ainda costumes de época sem que aparente prender-se com tais temas que seriam sempre transversais, quiçá supérfluos.

Sem dúvida a ler. Ainda por cima é pequenino, pesa pouco para levar para a praia.

terça-feira, 28 de julho de 2009

E a sogrinha fez anos!



A
s boas pessoas são raras.

N
ão conheço tantas assim

G
osta-se delas, são-nos caras
É o que eu penso cá para mim.
L
indas por dentro e por fora

I
sto é a mais pura verdade

C
omo é esta que faz hoje anos, e

A
ssim, todos a beijamos…


Nota: a intenção não foi fazer poesia. Ao fazer este acróstico, tentei responder a um desafio; uma brincadeira para a sogrinha se rir...

domingo, 26 de julho de 2009

“A Lista da Morte” de Julie Garwood


Quando li a sinopse deste livro, embora não conhecesse a autora, pareceu-me que se tratava de um thriller policial, psicológico ou, pelo menos com algum suspense.

Já vos disse que gosto bastante desse género literário quando bem escrito.

Pois que não é. Pois que o livro me saiu de enredo cor-de-rosa do tipo dos romances de cordel. Apenas aqui a heroína não é desgraçadinha nem órfã de pai ou mãe, mas sim uma herdeira riquíssima, nem o “príncipe” salvador anda atrás do seu dote. Desenganem-se. É amor do puro, do bom, daquele que se encontra muito nos filmes, nos romances… Enfim, por aí!

Ah! Não esquecer. Além de inteligentíssimos são ambos de cortar a respiração (e não é necessário ser-se asmático) a quem olha.

Agora poderão perguntar, tal como eu me perguntei: quem faz estas belíssimas sinopses?

Pois bem, só posso concluir que ou não leu o livro todo, ou estava algo distraído.

Embora se possam encontrar uns assassinatos logo no início e lá mais para o meio, tais eventos, não acrescentam nem tiram nada ao enredo. São meros enfeites plantados nas margens daquele amor tão lindo…

É verdade que justificam a presença do herói por quem a heroína se apaixona irremediavelmente, tendo a sorte (incrível!) de ser correspondido no processo!

Bem, poder-me-ão perguntar também: porque leste? E eu terei de confessar que, além de detestar não acabar um livro iniciado, nunca o faço, a verdade é que também é bom pintar a alma de cor-de-rosa e viajar para o reino da fantasia. Na minha adolescência, talvez até mais pré-adolescência (sempre fui algo precoce), também li com as outras colegas de liceu alguns desses de cordel que me faziam sonhar muito e, afinal, não me fizeram mal a nada! E, convenhamos, este pelo menos não estava mal escrito!

Portanto, minhas amigas e amigos, a ler, sem dúvida, se apreciam literatura rosadita. Ah! Vejam só, aparentemente vai ter sequela…

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Aniversário

Imagem daqui

Pois é, meus amigos e amigas e mesmo aqueles que não sem nem uma coisa nem outra e acabam por aterrar aqui por mera casualidade. Grande azar! Devem andar a expiar algo…

Bem, mas o facto é que hoje, este meu “menino” o meu “bloguinho” o “Ponto de cruz” comemora o seu 2º aninho de existência. E como está crescidinho!

Pois foi exactamente no dia 24-07-2007 que eu, Donagata, à época em busca de algo que me permitisse não perder as minhas, já parcas, capacidades de escrita e de opinião, dei início a este buraquinho no ciberespaço e, com o maior rigor e critério, vos vou massacrando o juízo quase diariamente.

E como festa é festa, resolvi comemorar o evento respondendo a um repto que me havia sido feito há já muitos meses no qual a Sofia, me desafiava a descobrir que outros coisas aconteceram no mundo nesse dia.

Em boa verdade não deveria ter acontecido nada de importante a não ser as pessoas cessarem as suas vidinhas e esperarem, ansiosamente, o início do Ponto de Cruz.

Mas, efectivamente, tal não aconteceu e houve uns patetas que resolveram fazer coisas!!! Enfim. Manias de exibição.

Ora vamos lá ver:

- O Dr. Adriano Moreira, senhor que muito estimo e que escusava de me ensombrar o lustro, decidiu, neste mesmo dia, escrever para o Diário de Notícias um artigo de opinião acerca da admissão da Turquia na União Europeia

Ei! Coisa importante… não podia esperar para o dia seguinte!

- BCP perde 758 milhões com 'guerra' interna”

E isto interessa alguém, por acaso? Que é isso de 758 milhões (quantos zeros tem isso?)? Milhões de quê?

“A instabilidade vivida ao nível directivo, as fracas previsões de resultados e as recomendações dos analistas são apontados como directamente responsáveis pela quebra da cotação do BCP, que no final de Junho chegou aos 4,30 euros.”

Quer dizer: o pessoal não trabalha, tem a mania que é director, que é importante e coisa e tal e para quê? Para sair no jornal. Hoje! Este Paulo Teixeira Pinto!

-“Na escola do futuro, os alunos têm um computador com ligação à Internet na sua secretária, fazem exercícios no quadro interactivo, continuam a trabalhar em rede na sala de estudo, usam o cartão de aluno para tirar fotocópias ou comprar uma sandes no bar. O primeiro-ministro José Sócrates deseja que este seja um futuro muito próximo, concretizado através do programa "Escola - Plano Tecnológico da Educação", ontem apresentado em Lisboa.”

Coisa importantíssima, é verdade. Oh Senhor Primeiro Ministro e não podia ser amanhã?

- “Acabaram-se as hesitações: Luís Filipe Menezes anunciou ontem que vai defrontar Marques Mendes na eleição directa para escolher o próximo líder do PSD, a 28 de Setembro. E avança com um objectivo declarado: derrotar José Sócrates nas legislativas de 2009.”

Esta, hoje, parece anedota. (por acaso até já parecia na altura…)

-“ A ordem judicial de apreensão, no passado dia 20, da revista satírica espanhola El Jueves, que trazia na capa uma caricatura do príncipe Felipe e Letizia numa posição sexual considerada "irreverente", fez disparar as ofertas de venda da publicação na Internet. Há quem chegue a pedir quatro mil euros por um exemplar.”

Esta, vá lá. Admito que é notícia para competir em importância com o início do “Ponto de Cruz”

- "Ter um animal exótico em casa começou por ser uma moda, mas, de há um tempo para cá, passou a ser uma paixão para pessoas de todas as idades e hoje estes tornaram-se nos 'novos animais de companhia'." A explicação é dada ao DN por Rui Patrício, veterinário de animais exóticos que, actualmente, observa entre 50 e 60 exemplares por mês, quando há oito ou nove anos assistia apenas um mensalmente.

E os animaizinhos, mesmo exóticos, não esperavam pois não, Sr. Dr.?

And last, but not the least….

- “Bruno Timóteo, ex-concorrente do Big Brother e um dos 23 detidos na megaoperação desencadeada pela GNR no domingo, está acusado de um crime de furto qualificado e será ouvido apenas esta manhã no Tribunal de Esposende”.

As audições atrasaram-se por falta de condições do tribunal. É, mas hoje, já tinham… Está mal! Era ouvido amanhã! Afinal tanto fazia e, assim como assim, já estamos habituados a atrasos como deve ser.

E, naturalmente, muito mais haveria a dizer acerca desse ditoso dia. Contudo, como já repararam, não vale a pena o trabalho.

Verdadeiramente digno de nota, notícia verdadeiramente importante, a destacar em qualquer periódico, seria mesmo o início do “Ponto de Cruz”. Isto, está claro, se houvesse por aí um jornalista com perspicácia para furos…