domingo, 19 de julho de 2009

Até sempre, Adriano!


Não sei porque teimamos e teimamos em viver uma vida que não nos quer!

Não entendo porque lutamos tanto, amamos tanto, amargamos tanto e choramos tanto!

Não percebo porque se ceifa, assim, uma vida que não viveu porque não teve o fado a seu favor!

Não concebo que se creia, quando se é desamparado, largado, mortificado

e, por fim, despejado num forno ardente, ou numa vala funda, brevemente, pútrida!

E, de nós, que éramos tudo, sobra o nada. O vazio! Por vezes, a memória!

Foste, Adriano, das pessoas mais belas que me foi dado conhecer!

Amigo generoso!

Pai e companheiro dedicado!

Irmão e filho querido!

Foste, acima de tudo, sempre tu!

Ameno e compreensivo nas tuas certezas

que se tornavam, tantas vezes, também as de outros,

apenas porque eram as tuas…

Merecias tudo.

Porque tudo foi quanto sempre deste!

Leva contigo um beijo meu….

E comigo ficarás sempre naquele lugar da memória

que eu reservo apenas para alguns…


Donagata em 2009-07-18

Nota:

Poderá ler aqui a notícia do falecimento de Adriano Teixeira de Sousa de quem tive o enorme privilégio de ser amiga desde a nossa adolescência.


10 comentários:

pin gente disse...

um beijo
pela amizade que vos une.
muito bonitas as tuas palavras!
beijos

Donagata disse...

Obrigada. São muito sentidas, acredita.

JP disse...

Obrigado por todas as palavras que dedicas ao "nosso" Adriano. Ele era o MELHOR de todos Nós.
A ele devemos muito e por isso a sua capacidade e a sua inteligência fica muito para além do seu corpo.

Obrigado,
JP

Donagata disse...

Não se agradece algo que vem do fundo de mim.

Não sei a quem estou a responder. Contudo concordo inteiramente com tudo o que diz.
O "nosso" Adriano deixou-nos em corpo. Mas a sua postura, o seu bom-senso, a sua inteligência, a sua capacidade de mediar situações difíceis, a sua bonomia, a sua infindável capacidade de trabalho e a sua capacidade de ser despojado nas suas amizades, permanecerão para sempre com aqueles que tiveram o privilégio de o conhecer bem.

Tia_Cunhada disse...

O meu abraço de conforto, neste momento de saudade...
Que feliz ficava se soubesse que, um dia, alguém escreveria assim sobre mim...
Fique bem.

Donagata disse...

Porque não? Naturalmente os grandes amigos exprimirão o seu pesar da maneira que souberem...

Mar Arável disse...

Coração de oiro

o seu

Bjs

Donagata disse...

Não é verdade. Apenas valorizo a amizade. E perdi um grande amigo...

Obrigada.
Beijos.

Júlia V. disse...

O Adriano deixou-nos em corpo mas estará SEMPRE connosco. Tristeza maior é a daqueles que não tiveram o privilégio de o conhecer porque teriam partilhado com ele momentos de grande humanidade e inteligência que serão para sempre inesquecíveis. Porque o Adriano foi único na sua forma de estar, na sua forma de dar, na sua forma de ser... Só sei que nada será como antes. Ainda bem que me pude despedir de ti... Até sempre meu Amigo... Vou continuar sempre ao teu lado.

Donagata disse...

Júlia, não podia concordar mais com o que disse. É verdade. A maior perda foi daqueles que não tiveram o privilégio de conhecer pessoa tão especial. Eu fui uma felizarda. Conhecia-o desde os nossos 17 anos...
Permanecerá sempre connosco pois a sua forma de estar e de ser deixava, inevitavelmente, uma marca indelével em todos quantos o conheciam.
Beijos.