terça-feira, 21 de abril de 2009

A "Liberdade na "Feira do Livro"

Foi hoje a abertura da tradicional Feira do Livro da Escola E.B.1 da Maia do Agrupamento vertical Gonçalo Mendes da Maia.

Como habitualmente estiveram presentes elementos da edilidade, este ano na pessoa do Dr. Nogueira dos Santos, vereador do pelouro da Educação; da Associação de Pais; as jubiladas da Escola e, obviamente, os Coordenadores dos diversos estabelecimentos de ensino que compõem o agrupamento, bem como alguns elementos do Conselho Executivo.

O espaço estava lindíssimo decorado com trabalhos elaborados pelos alunos.

Coube à Coordenadora do 1º ciclo fazer a intervenção de abertura que terminou com um belíssimo excerto de Eça de Queiroz, extraído de "A Cidade e as Serras", muito a propósito.

Interveio depois o Dr. Nogueira dos Santos louvando o evento e elogiando o Plano Nacional de Leitura o qual, na sua opinião, já revelava frutos visíveis.

Seguiu-se a intervenção do representante dos Encarregados de Educação, também em forma de cumprimento pela iniciativa e, terminou-se esta cerimónia de abertura, de uma forma que não constava no programa.
Com a leitura feita por mim, em nome e a pedido de todas as jubiladas presentes, do poema "A Liberdade" de Fernando Pessoa.

Aqui fica. Não dito por mim mas sim pelo nosso saudoso e inigualável João Villaret


5 comentários:

Anónimo disse...

Ola Sra Donagata :)
AMEI , Gostei mesmo muito deste Poema ... ;) ...
Sabe , Existe uma Mulher que muito AMO que Tenho a certeza que vai ADORAR este Poema ... :) ...

Enfim , desabafos ...

Apenas para lhe deixar um Beijo ...

Anónimo disse...

Desculpe ...

Anibal Borges .

wallper.lima disse...

Olá Donagata! Adorei imensamente tudo que vc falou...acho que de hoje em diante, vou sempre fazer mais charme, para vc aparecer, e me dá mais atenção! E pra dizer o quanto amei o seu "testamento", eu fui em minha postagem, tirei um dos quadros de Picasso e coloquei "Les DemoisellesD'Avignon"
em sua homenagem.
Tê-la como amiga é mto bom!
Bjos miados.
Wal.

Donagata disse...

E bom Wall, saber que de aí, de tão longe, temos alguém que pensa em nós. que sente carinho por aquilo que nós somos e não pelo que parecemos. Um carinho despojado de interesses ou de intenções, mas suficientemente grande para me fazer um agrado mesmo que nem sequer o tenha insinuado.

Um beijo grande.

Donagata disse...

A.B. Este poema é um espanto. Não apenas pelo poema em si,, que é lindo, como por todo o seu sentido.
Além disso, não esqueçamos que está dito por João Villaret...