segunda-feira, 27 de abril de 2009

E a Primavera que teima em não chegar...

(Imagem: "Vendedora de flores" de Diego Rivera)

Olho daqui as flores que tentam, envergonhadas,

sacudir a chuva e resplandecer no jardim.

Mas a Primavera quer mantê-las molhadas

Exige-as submissas, só para ela, assim…

Ouço as aves que cantam alegres,

em trinados frescos e cheios de graça,

ao primeiro raio de sol que no céu lobrigam.

Mas a Primavera, ainda preguiçosa,

inventa chuvas fortes que os pobres fustigam…

Consigo espreitar a verdura fresca dos campos

que brilha forte na limpidez do ar.

Mas a Primavera, essa, teima em não chegar…

Espreito o céu e pressinto, por entre nuvens,

o brilho cintilante do azul do céu.

Mas logo a Primavera corre

e o tapa, invejosa, com um véu…

8 comentários:

nuvem disse...

Que bonito... Ainda que nos falte a Primavera, há sempre flores a nascer aqui.

Beijinhos

Duarte disse...

No México pude conhecer de perto os grandes murais deste génio da pintura.
Bonita eleição.

Reconhecido

Donagata disse...

Gosto muito da pintura de Diego Rivera embora nunca tenha tido a oportunidade de a ver ao vivo, infelizmente.

Cumprimentos

Arménia Baptista disse...

Falta a Primavera... mas não faltou inspiração para o lindo poema...Nem para a escolha das "flores" (umas das minhas preferidas!:))
bjinhos

pin gente disse...

muito bonito... consegui ouvi-lo dito por ti!
um beijo
luísa

Donagata disse...

Obrigada. Também não ficaria pior se fosses tu a dizê-lo. É que os santos da porta não fazem milagres...

Beijos

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Está mesmo a chegar... Mas contigo há mais primavera.

BlueVelvet disse...

A pintura é dele, mas apalavras são tuas.
Lindo.
Beijinhos