quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Poesias para crianças que encantam os adultos


Brinquedo

Foi um sonho que eu tive:
Era uma grande estrela de papel,
Um cordel
E um menino de bibe.

O menino tinha lançado a estrela
Com ar de quem semeia uma ilusão;
E a estrela ia subindo, azul e amarela,
Presa pelo cordel à sua mão.

Mas tão alto subiu
Que deixou de ser estrela de papel.
E o menino, ao vê-la assim, sorriu
E cortou-lhe o cordel.

Miguel Torga
Imagem: Obra de Albano Afonso da série "Fazendo Estrelas" - "noite estrelada após Van Gogh