terça-feira, 23 de outubro de 2007

Gatos


Imagem: L'apotheose des chats de Theophile Alexandre Steinlen, 1905

Ninguém como os gatos
sabe contar as estrelas e os duendes
que se evadem do labirinto das fábulas
para desassossegarem as virgens
das aguarelas dos quadros interditos.
Os gatos lavam-se
para que nada do que é impuro
macule a santidade
dos instantes que a memória não retém,
por serem felinos como o reverbero das pedras
preciosas da noite dos alquimistas.

José Jorge Letria

Sem comentários: