sábado, 20 de dezembro de 2008

Ode a uma amiga muito especial!


É um momento estranho,

aquele que estás a passar.

É teres muita vontade de ir

e estares triste por não ficar.

Estás cansada, exaurida

do tanto que te é pedido.

Sentes uma raiva incontida,

uma dor, uma impotência,

sentes no peito, cingido

já a saudade da ausência.

É a escola que tu amas!

É o teu reduto, a tua “casa”!

E se de cansaço reclamas

tentando não sucumbir,

pelas colegas já chamas,

mesmo ainda sem partir.

É difícil o momento!

Direi mesmo inenarrável

Se já te falta o alento

e a dor é inefável,

também esse abrandamento

que vais ganhar com a ida,

essa resposta a um chamamento

que te faz a tua vida,

não a deves ignorar,

nem tentar esquecer-te dela.

É uma nova fase tua.

Uma etapa muito bela!

Em que poderás ser tudo,

aquilo que imaginares,

que quiseres, com que sonhares.

Podes ser uma Cinderela,

em vestido de veludo,

ou uma dama mais singela

que abraça um gato felpudo.

Seja qual for a tua escolha,

(podes até ser ambiciosa)!

Vive a vida, folha a folha

com a suavidade de uma rosa.

Donagata em 2008/12/10

(Imagem de Louis Wain "It brought me a tear into the eye")

Ontem, num jantar cujo prato principal era a emoção, tive o imenso prazer de ler este poema, procurando, com ele, traduzir o sentir de um grupo de pessoas que de mais perto lidou com essa AMIGA MUITO ESPECIAL que se jubila agora.

Embora ontem tivesse servido para traduzir o sentimento de um colectivo, não tinha sido esse o propósito que me levara a escrevê-lo.

Já o havia feito logo que, por linhas algo travessas, tinha sido conhecedora do seu jubileu.

Senti, nesse momento fluírem algumas palavras que não pude deixar de transpor ao papel. Era o mínimo que eu sentia que tinha de fazer por alguém que irá deixar um vazio que, quanto a mim, não será preenchido NUNCA!

Será substituída nas suas funções, provavelmente bem, mas ela, essa SENHORA, pairará sempre nos mais recônditos recantos daquela escola, já para não falar nos imensos espaços que ocupa no coração de todos os que tivemos o privilégio de com ela trabalhar. Insinua-se de mansinho, delicada, compreensiva, paciente e, quando damos por ela, já lá se instalou e criou o seu lugar para sempre.

Eu, que considero ter desenvolvido uma forte relação de amizade como ela (pelo menos pela minha parte foi. Espero não estar a ser abusiva, mas julgo que não. Estas coisas sentem-se, não se explicam!), já lhe sinto a falta!

Muitas felicidades e um bem-hajas por tudo o que és!

9 comentários:

Anónimo disse...

Ola Sra Donagata :)
Fico mesmo satisfeito ao ler algo assim , É Fantastico Gostar aasim de alguém , É Fantastico Expressar esse mesmo Gostar :) ... como a entendo !
Fiquei bem disposto pelo simples facto de ler o q escreveu :)

Obrigado !

Beijo , Anibal Borges .

Donagata disse...

Eu é que lhe fico imensamente agradecida pelos comentários, sempre ternurentos, que aqui me deixa. Por vezes são o suficiente para animar mais o meu dia.

Não me mime demasiado

Um beijo

nuvem disse...

E que odisseia foi a preparação desta belíssima homenagem! Mas valeu a pena, tenho a certeza.

Este poema está magnífico, em todos os aspectos, e estou certa de que esta amiga especial o guardará sempre no coração...

Mil beijinhos

Donagata disse...

Também acredito que sim. Não sei se o poema é sequer bom. Mas é terrivelmente sentido.

Um beijo grande e um bom fim-de -semana.

Alda M. Maia disse...

Compreendo e admiro a sua sensibilidade - envio-lhe um abraço especial.
Quero também desejar-lhe um Bom Natal e um sereníssimo Ano Novo

eu, do alto do meu salto disse...

Esta amiga tem muita sorte em ter uma amiga como a Donagata!
Alguém que nos escreve uma coisa tão bonita gosta realmente de nós.
Parabéns.

bjs

Donagata disse...

Obrigada. E é que gosto mesmo.

Tais Luso de Carvalho disse...

Donagata, que bonita esta homenagem, quanta sensibilidade e delicadeza...Achei belo o poema! Obrigada pelos votos de um feliz Natal e estou aqui para desejar o mesmo a ti e tua família.

Tais

Donagata disse...

Para todos os que aqui comentaram um feliz Natal.
Obrigada por aparecerem e serem tão carinhosos comigo.

Um beijo Grande.