terça-feira, 5 de agosto de 2008

"O artista da morte" de Daniel Silva


Estava há muito tempo com curiosidade de ler alguma coisa deste escritor que, além de ter um nome português (é norte americano, mas filho adoptivo de pais açorianos), é dono incontestado de uns poucos de best-sellers.



Pois bem, “O artista da morte” foi o livro eleito para me estrear com o escritor.

Trata-se de um thriller, com todos os ingredientes necessários. O enredo tem por base os conflitos israelo-árabes e cria uma trama intrincada na qual os jogos de poder (por vezes entre actores da mesma facção), a intriga política, o sigilo e as duplicidades se sobrepõem a paixões intensas, amordaçadas, relegadas para segundo plano ou mesmo para nunca.



Neste mundo de simulações, a vingança pode ser um luxo caro, o expoente máximo da arte.



De leitura agradável, devo no entanto confessar que ficou um pouco aquém das minhas expectativas.

5 comentários:

antonio disse...

Sou fã da escrita do Daniel, julgo que este é o primeiro da série, só agora publicado em Portugal.

Leitura de praia, tal como o Dan Brown e o José Rodrigues dos Santos.

BlueVelvet disse...

Não conhecia,mas adoro suspense, seja em cinema ou livro.
Talvez porque a minha vida também o seja...
Quanto à vingança, não só acho que é realmente um prato que se come frio, como o expoente máximo da inteligência, quando feita com arte.
Claro que falo da vingança contra quem nos fez muito mal, porque até nem sou vingativa.
Mas, há casos e casos:))
Beijinhos e veludinhos

antonio disse...

Uma mulher que não é vingativa? O que mais irão inventar? ;)

Nuno Soares Correia disse...

Olá Donagata,

Sou suspeito de comentar este livro, dado que sou fã de uma boa história, sem moralismos ou "morais" associadas... Simplesmente disfrutar de um Livro com prazer e diversão.
O Daniel Silva tem uma forma de escrita ligeira e cativante... para quem gosta do estilo, arrogo-me a sugerir Steven Saylor, com os seus livros policiais passados na Roma Antiga... E teve a coragem de assumir o seu nome português.

Bj

Donagata disse...

Eu também gosto desse tipo de leitura, essencialmente lúdica. Adoro suspense, policial (quando bom) e há muito bons autores, romance ligeirinho... Enfim, gosto de tudo. Sou uma leitora um pouco compulsiva.
Steven Saylor não conheço, mas já anotei pois é certo que vou conhecer.

Um beijo.