terça-feira, 2 de março de 2010

Dia 2 de Março de 2010 - 27 anos...



Hoje, nada vou acrescentar!

Não porque não o queira fazer,

mas foram tantas as coisas que este ano viveste,

tanto o que tiveste que crescer,

que não caberia em todas as folhas de papel,

tudo quanto teria para te dizer.


Hoje, apenas os teus olhos vou fixar

esses que mesmo sem me fitar já me olham

e falar-te num silêncio circular:

nas lágrimas que o teu rosto já não molham,

nos sonhos que reaprendeste a sonhar,

no renovado brilho do teu olhar,

que então, sobre si próprio se volta

e se fixa em mim para me continuar.

E eu, tua mãe, sentir-me-ei solta,

pois nessa luz azul que tanto encanta

sei que viverei em um tempo em que já não irei estar.

10 comentários:

Brain disse...

Simplesmente:

E S P E C T A C U L A R ! ! ! !

Um Grande MIAU,
Para ti,
Donagata!

Donagata disse...

És sempre querido. Mesmo com o dentinho maroto!!!!

Beijo

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Fundo de azul e sonho
azul do mundo
azul de tanto
amar.

Parabéns.

Vinte e Quatro disse...

Puxa! Que bonito! Para o mês das águas mil também quero!:)

Beijo e parabéns também para si Senhora Donagata

vinteEquatro

Donagata disse...

Obrigada a ambas.
Aceito os parabéns pois sou uma mãe orgulhosa.

Mar Arável disse...

Quando também por palavras

se distribui ternura

tudo ganha dimensão

até o poema

Bj

susana disse...

Que estranho... eu tinha deixado aqui os parabéns à aniversariante e à mãe! Devo ter feito asneira... Mas aqui vão outra vez os votos!!!

Donagata disse...

Mar arável, que bom "vê-lo por cá" e apreciar as suas, sempre simpáticas palavras.

Obrigada.

Donagata disse...

Obrigada Susana. A TICS têm destas birras...

Beijos da mãe e da filha.

wallper.lima disse...

Achei lindo o poema, vejo que quando falamos com o "coração", deixamos claramente estampado aquilo que somos e sentimos de verdade! Sinto em suas palavras o que podemos definir o bem maior, o amor amplo, a continuação, ligação eterna de mãe e filha! Parabéns a duas, porque celebrar a vida é fundamental para nossa existência, e declarar o sentimento verdadeiro e infinito é alimento.
Beijos de saudade daqui deste país tão caloroso e alegre.
Waleria Lima.