quarta-feira, 24 de março de 2010

"Clube de Escritores"


(Imagem do filme "O clube dos poetas mortos")

Tenho andado tão assarapantada que até me esqueci quer de mencionar o evento, quer de aqui colocar o texto que escrevi para a função.

Foi já no passado Domingo que se deu início ao “Clube de escritores” uma iniciativa da Edita-me.

Perante um mote, as pessoas deveriam produzir um texto que não poderia ultrapassar uma folha A4 o qual viria a ser lido, pelo próprio ou por outrem, no dia do encontro.

Para este primeiro encontro o mote era “Tu e o meu bolo de chocolate”.
Bem palerminha, é verdade!

O encontro sucedeu no carismático bar portuense "Labirintho" que serve, por tal sinal, um fabuloso bolo de chocolate.

Eu, ia para ler, a minha função de sempre. Mas à última da hora, deu-me uma febre de escrita e há que meter a mão num bolo que não é meu (não o de chocolate, o da escrita) e toca a produzir uma pequena parvoíce para me divertir um pouco e aguilhoar o evento que, diga-se de passagem, foi bem animado mesmo sem a minha modestíssima contribuição.

Pois aqui vai o que saiu. Divirtam-se se conseguirem…


Tu e o meu bolo de chocolate

É hoje, pensava Carlota para com os seus botões (que, por acaso nem tinha nesse dia).

É hoje! Dizia ela alto e bom som para quem a quisesse (ou não) ouvir (talvez por não ter os tais botões com quem pensar…).

É mesmo hoje que me vou atrever. Dar o grande salto. Deixar de ser o elemento a mais; a que vai compor o ramo; a que tem por missão realçar a beleza do trabalho de outros.

Chega, Bolas!

Também quero ser artista!

Subir ao plateaux e ser apresentada com honras e fanfarras como vejo outros serem!

E tudo porquê? Porque aqui a menina Carlota sempre foi mais de falar…

É verdade que sim. É verdade que falar se não bem, pelo menos muito, é um dom que tem. Mas com os diabos! Será que não conseguirá sair desse gueto em que ela própria se enfiou até às cordas vocais??

Claro que sim. Claro que vai sair. E é hoje!

Come os kivis apressadamente, faz o café e arranja o pão já com as ideias a fervilhar que nem uma panela de sopa. Dá instruções à funcionária para ficar mais liberta podendo desse modo dar asas à eventual criatividade, faz festas aos gatinhos, mas poucas e explica-lhes porquê, atira um piropo ao cão que fica surpreendido com semelhante coisa antes mesmo do café e corre para o computador.

Esfrega as mãos, estica os braços (exercícios de aquecimento, para quem não tenha entendido) e prepara-se para o acontecimento mais importante, mais emocionante, mais degradante que é escrever algo que lhe impõem!!!!

E então, lentamente, premindo conscientemente cada tecla do computador escreve:

- Tu! E o meu bolo de chocolate!




3 comentários:

Brain disse...

"Bem palerminha"?!?!?!

LOL

Espera para veres o próximo!
:)

Beijo Meu.

Donagata disse...

Então não????

pin gente disse...

eu bem gostei de ouvir.
um beijo