domingo, 21 de março de 2010

Dia Mundial da Poesia


(Imagem daqui)

E porque hoje é o dia mundial da poesia, vou partilhar convosco um pequeno poema, que leio muitas vezes.
Usufruam!

Dou-te as palavras
como quem se despe
secreta e completamente.

Fico nua e solitária

toda a alma descoberta
no papel

e nos teus olhos

a imperfeição da minha pele.

O poema como espelho

deste medo

que me vejas

só, nas tuas mãos.

De Maria Sofia Magalhães in "da Sombra que somos"

7 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Obrigada, Donagata. Ainda bem que podemos usufruir da tua pessoa.

A.Teixeira disse...

Uma perguntinha apenas: a etiqueta final diz "outra poesia". "Ôutra"? Mas ele há outra poesia?

Donagata disse...

Neste caso há A. Teixeira. Tenho "a minha poesia" e a "outra poesia". Tenho ainda outra etiqueta que diz apenas "poesia" e se destina, por exemplo, a informações, vídeos sobre poesia e assuntos mais gerais.
Podes achar que as etiquetas não estão felizes, que podes. Mas meu amigo... foi o que foi!
E quanto a haver "outra" poesia, em termos absolutos, o que não faltam para aí são outras poesias... Mas isso são já conversas muito extensas e que se prendem muito com pontos de vista estritamente pessoais mas não só.

Donagata disse...

Sofia, neste caso nós é que usufruímos do teu talento...

nuvem disse...

Este poema é realmente belíssimo.

Beijinhos

pin gente disse...

obrigada pela bonita partilha.
beijo

Cristina Loureiro dos Santos disse...

É realmente belíssimo!
Beijinhos, Donagata :**