sábado, 27 de março de 2010

Ontem


Ontem, o dia se fez noite

a claridade se fez breu,

a alegria se fez dolência,

e eis que me perco de mim

a um ponto de já não ser eu.


O que era pequeno se fez grande,

o imenso se apoucou,

o chão fugiu-me dos pés

e o eu que vagueava,

sem alternativa, acordou…

2 comentários:

pin gente disse...

deduzo que tenha sido um alívio.


boa... a tua poesia!
um beijo

Donagata disse...

Obrigada. Não é boa, é sentida...