quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Apresentação do livro "Em voz Baixa"


O livro que vai ser lançado no próximo dia 9 de Outubro, no Palacete Balsemão (Pç. Carlos Alberto) pelas 18,30h., constitui um acontecimento único e estonteante de singularidade e beleza.
Haverá poesia, música e vinho do Porto com intervenientes de grande qualidade e prestígio para uma sessão de charme a não perder!

Contamos com a vossa presença.

POETRIA

In Poesi Veritas

Poesia, arte e vinho do Porto



No próximo mês de Outubro ocorrerá o lançamento do livro Em voz baixa, uma obra que junta poesia, arte e vinho do Porto, com duas apresentações, a 1ª na Casa Fernando Pessoa, em Lisboa, em 8/10 às 18,30, e a segunda em 9/10 às 18,30, no Palacete dos Viscondes de Balsemão, no Porto (Pç. Carlos Alberto). Este é o primeiro volume da nova colecção de livros de arte da Editora Qual Albatroz e contou com as parcerias da Porto Ferreira e do Centro Português de Serigrafia e os apoios da Câmara Municipal do Porto e Livraria Poetria.



Em voz baixa inclui poemas do poeta espanhol Abel Múrcia, com a sua tradução para português e 4 serigrafias da autoria do artista polaco Marian Nowinski, retocadas com vinho do Porto Dona Antónia – reserva. Esta 1ª edição terá uma tiragem de 200 exemplares numerados e assinados pelos autores.



Esta colecção excepcional tem dois objectivos: encarar o livro também como objecto artístico na procura de novas formas de o conceber e dialogar com o leitor; encarar o livro como um lugar de intercâmbio cultural onde se combinam diferentes formas de arte e se cruzam artistas de vários países.



Em voz baixa reveste-se assim de características únicas: num só objecto combina-se a arte, a poesia, a tradução e a serigrafia ao mesmo tempo que se promove um encontro intercultural entre Portugal, Espanha e Polónia.



No seu interior estão os poemas de amor de Abel Múrcia, na língua original e em português. Falam-nos em voz baixa e em segredo, numa linguagem familiar mas depurada, sobre o enamoramento, o erotismo, a intimidade e a paixão. Inspiradas nos poemas encontramos as serigrafias originais feitas especialmente para esta obra, cada uma delas intervencionada pela mão do próprio artista com vinho do Porto Dona Antónia, o que lhes confere um valor único. O vinho português mais (re)conhecido mundialmente, utilizado aqui por um pintor polaco para retocar serigrafias inspiradas na obra de um poeta espanhol, aparece como veículo deste diálogo entre culturas.

Observação: As leituras serão feitas por mim, Donagata e a música estará a cargo do acordeão de Fátima Santos

7 comentários:

Perfumes Bighouse disse...

Oi Donagata.
Que belo evento.
Depois que passar bem que poderias postar uma destas belas poesias... Beijocas.Elisabeth

Donagata disse...

Só depois, claro.

Alien Taco disse...

poesia,vinho e acordeão.Estamos a falar de quantidades de vinho substanciais?Como conheço bem a poesia de A.Múrcia grande amiga do Valium.Com beberete e acordeão vai ser tudo a dormir em voz baixa e a sonhar em vários idiomas.A festa do museu de cera borracho,o berbicacho poetico de Baco, a liga das borrachonas anti-menopausa,o tupperware intenso em festa e a partilhar.Que bonito.

pin gente disse...

será seguramente fantástico!
que corra tudo pelo melhor... e vai correr... por ti, pela fátima, pela dina e naturalmente pelo livro em si.
beijos luísa

Tais Luso de Carvalho disse...

Sucesso, amiga!

Hoje estou visitando teu blog, sempre cheio de novidades e histórias contadas com aquele humor que te caracteriza.

Estava meio desaparecida. Mas cada dia visito alguns amigos e coloco a agenda em dia. Estava com saudades do teu cantinho.
beijão
tais luso

Donagata disse...

Pin, obrigada pelos votos de sucesso. Vou tentar, como faço sempre.
A seguir somos nós!!!

Beijos

Donagata disse...

Taís, gostei de a rever. Eu vou muitas vezes ao seu cantinho embora nem sempre comente...

Mas gosto muito do que lá escreve.

Beijos.