domingo, 11 de outubro de 2009

Em Lisboa, arrasámos!


E pronto. Finalmente lá me estreei em Lisboa.

A verdade é que não encontrei aquele aglomerado de gente à minha espera, tipo “manifestação da Intersindical”, que me havia sido vaticinado por um familiar, seguramente com a sua crença em relação às minhas capacidades de “diseuse” muito exacerbadas.

Porém, devo dizer que também não me posso lamuriar.

A sessão correu lindamente, com a organização a que a (Carlos Lopes) já nos habituou, tendo sido aquilo que se propunha ser. Apresentar a palavra escrita em estreita simbiose com outras formas de arte.

Neste caso a fotografia que compõe (e muito bem, na minha opinião) o livro; a música que servia de fundo às nossas palavras ditas, também esta com o talento a que o Pedro Lopes já nos habituou e, desta vez, o canto na voz de Pedro Branco sempre acompanhado pela sua viola.

Este, que eu nunca tinha tido a oportunidade de ouvir (desencontros vários), trouxe-me à memória uma voz esquecida… E que saudades!

Enfim, acalentou-me a alma tal como os seus poemas já muitas vezes o haviam feito. Parabéns Pedro (agora o Branco)!

And last, but not the least, a Luísa cantou. De início um pouco hesitante, estava nervosa. Mas de seguida , segurou o tom e creio que encantou todos os que não lhe conheciam essa faceta.

O local é lindíssimo. O evento decorreu nas instalações da padaria da antiga Manutenção Militar. Hoje é um museu que conserva ainda um acervo deveras interessante, faz parte da história das nossas Forças Armadas e que, na minha opinião, talvez merecesse um pouco mais de apoio.

Sem querer criticar, até porque penso que só haverá razões para agradecer a cedência do espaço, foi pena que apenas uma pessoa estivesse disponível para acompanhar o evento.

De uma simpatia extrema e denotando um orgulho no que tinha para mostrar que lhe extravasava o ser, a senhora desdobrou-se para permitir que fossem entrando os convidados conforme iam chegando, conduzi-los ao local sem, todavia, poder deixar a porta aberta…

Penso que talvez merecesse um pouco mais de apoio. Afinal estamos a falar de cultura… E nas suas diversas vertentes!

Naquilo que a mim me dizia respeito, algumas das leituras, houve algo que me deu um ânimo adicional e uma vontade de procurar estar mesmo, mesmo, mesmo bem. Foi a presença de alguns familiares meus, daqueles que estimo verdadeiramente e que tão raramente tenho oportunidade de encontrar.

Estavam lá! Hummm… E que aconchego tão bom!

E agora, é só aguardar o próximo!

19 comentários:

Vinte e Quatro disse...

Tenho a certeza de que arrasou, Donagata!

Beijinho e muitos parabéns a todos!

vinteEquatro

Donagata disse...

Obrigada. Não foi exactamente o caso, não arrasei nada. Mas as coisas correram bem.

Beijos

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Felizes os autores que podem contar contigo.

LS disse...

Foste excelente.

Donagata disse...

Só posso agradecer a vossa generosidade. Mas eu só consigo dizer bem algo que já de si é bonito. As palavras não são minhas.

Beijos.

Perfumes Bighouse disse...

Olá Donagata.
Como sabiamente dizia Voltaire:
"- Todas as artes são irmãs: cada uma delas ilumina as outras"
Parabéns pela participação neste evento a reunir tantas expressões artísticas. Beijocas. Elisabeth

Donagata disse...

Obrigada Elisabeth. É que, por acaso, correu mesmo bem.

Beijos.

A.Teixeira disse...

Em terra de mouros, até os comeste, carago!

Foi uma reedição em poesia da conquista original, um pouco antecipada (foi a 25 de Outubro...) e um pouco atrasada (... de 1147).

Donagata disse...

Vá lá! Também não exageremos. Lá que nos fomos a eles é verdade. Que os comemos é que nem tanto. Eram muitos e tínhamos a falta dos cruzados embora o "Teijo" não me parecesse estar longe.

Por outro lado não tive conhecimento de termos deixado alguém entalado na porta embora, a dada altura, a vontade fosse grande, confesso.
Um beijo e obrigada, mais uma vez, pelo apoio.

Pedro Lopes disse...

Arrasou SIM....
Até houve quem disse-se um "esfusiante": BRAVOOOOOO
Já outros... pediram autógrafos...
Enfim... acho que está na altura de formares um clube de fãs :)))

Quanto à parte que me toca, muito obrigado pelo elogio ;)

Beijinhos
PedroLopes

Donagata disse...

Olha Pedro, essa do clube de fãs é mesmo uma boa. Mas não para mim...

Beijos e obrigada pela segurança que sempre me dás. Sei que estou completamente liberta para utilizar seja qual for o ritmo de leitura que tu adequas a música.

Tia_Cunhada disse...

Feliz por saber que tudo correu muito bem...

Um beijinho

Donagata disse...

Correu mesmo.

Alda M. Maia disse...

Um grande abraço de parabéns

Donagata disse...

Obrigada Alda. Teria gostado de a ver por lá. E julgo que teria gostado de lá estar.

Um beijo.

isabel mendes ferreira disse...

uma voz poderosa num saber dizer.sentir.palavras.adentro.

é verdade. estive lá. a fazer coro com o BRAVO"!

. só por timidez antes de sair não a fui cumprimentar.

faço-O agora.


____________

Donagata disse...

Obrigada, Isabel. Foi pena não termos trocado umas palavras. Gostaria de a ter conhecido.

Obrigada também pelas generosas palavras que aqui deixa. Encontrar-nos-emos de novo, estou certa.

Beijos.

pin gente disse...

vim agradecer e deixar aquele beijo

luísa

Donagata disse...

Já te disse que não tens nada para agradecer. O prazer é também meu.

Beijos.