terça-feira, 13 de outubro de 2009

“Em voz baixa”.


Por ter ficado algo empolgada com a apresentação que fomos fazer a Lisboa só agora aqui deixo um comentário, embora breve (ou o blogue corre o risco de se tornar um chorrilho de informações acerca das minhas “exibições”, credo!!!!), acerca do livro “Em voz baixa”.

Vou pincelar apenas a apresentação propriamente dita que correu muito bem, como era de esperar, graças à simpatia do autor dos poemas, Abel Murcia, dos dois elementos que formam a editora “Qual Albatroz”, espantosos na sua simplicidade de quem é realmente bom, à calorosa recepção feita pelo Dr. Luís Cabral em representação da C.M. do Porto, à lição de saber dada pela Dr.ª Rosa Alice Branco e ao momento inesquecível de música que a Fátima Santos nos proporcionou. Eu, nada mais fiz do que ler o que já de si é delicioso. Por isso fi-lo degustando as palavras com real prazer.
Tudo isto, claro, com a “chancela” da Poetria na pessoa da Dina.

Contudo, o que eu penso que merece mesmo um forte reparo, é o livro. É uma pequena “grande” obra de arte.
Constituído por apenas sete poemas de Abel Murcia, em castelhano e em português, com uma qualidade de tradução inaudita, feita por José Carlos Dias (editor), acompanhados por quatro belíssimas serigrafias de Mariam Nowinski, artista polaco, retocadas uma a uma a vinho do porto, o que lhes confere um cariz verdadeiramente único.

E temos assim o produto final. Um livro com um conteúdo, como já disse, de luxo e organizado de uma forma de tal modo original na sua concepção que teve que ser quase todo de montagem artesanal, tendo dado azo a um livro completamente diferente e belíssimo.
Enfim, uma joiazinha rara!
A não perder. São peças únicas, numeradas e limitadas.

Ah, é verdade. O porto sempre foi servido nos cálices de Siza Vieira…..

E agora, apreciem-no...


2 comentários:

wallper.lima disse...

Assisti esse vídeo 3 vezes, e posso dizer que fiquei encantada, por isso tive que assistir mais vezes, e poder degustar cada pedacinho de beleza aqui exposta.
Letras, palavras e frases, e o nascimento de uma bela "obra de arte", com o título: "Em Voz Baixa", poemas de Abel Murcia e serigrafias de Marian Nowinski.
Neste temos a poesia que envolve toda sua criação, de uma forma lúdica, e fascinante, onde podemos ver e sentir através das palavras e dos desenhos, algo que traduz o novo, o original, a identidade desses dois artistas.
É bonito ver que apesar de ser difícil criar o "novo" nos dias atuais, mesmo assim o ser humano ainda possui em si, muita coisa ainda a ser descoberta.
Como é importante tocar, sentir e desvendar o que há por trás daquilo que não vemos, mas que está ali...um livro onde não há começo nem fim, mas uma passagem de idiomas.
Esse livro me fez lembrar, um trabalho que fiz, em que o texto era sobre Santos Dumont, e como tudo que faço, gosto de colocar minha marca, então fiz todo o conteúdo em preto e branco, e quando vc abria tinha um formato de avião.
Enfim, acho que falei demais...mas acho que me empolguei... fico imaginando como foi essa apresentação...parabéns a vc e a essa belíssima obra!
Bjocas.
Waleria Lima.

Donagata disse...

Obrigada pelo comentário. As suas palavras são sempre um prazer de leitura. Quer pela sua fluidez quer pelo seu conteúdo; sobretudo, neste caso, pelo seu conteúdo.

Também achei que iria gostar da obra, muito original na sua concepção e, por isso, aqui coloquei o vídeo pois seria muito difícil explicar-lhe como era de uma forma perceptível.

Além da originalidade, agradou-me a pluridisciplinaridade nela contida bem como a junção de culturas diferentes: português, castelhano e polaco...

Estou certa que as suas obras terão esse cunho, o da originalidade e da criatividade. Serão únicas assim como você.

Um beijo.