sábado, 8 de agosto de 2009

RAUL SOLNADO

Que dizer de um homem que não deixou ninguém indiferente e que foi o precursor do humor genuinamente português? Um comunicador por excelência. Um espectador da sociedade que transformava essa capacidade de observação em piadas de grande inteligência.

Quem não se lembra de ouvir no rádio, nos gravadores de grandes bobinas, ou nos vinis de 45 rotações e rir como se fosse sempre a primeira vez “A minha ida à Guerra”, “A História do meu suicídio”, “Está lá! É do inimigo?”, “Ida ao médico”, “O Cabeleireiro” e outros de que não me recordo agora? E era rir, por vezes, já por antecipação pois até conhecíamos o texto. Mas a graça era sempre a mesma.

Além disso, quem pode esquecer as suas intervenções fabulosas no programa Zip-Zip, marco da evolução dos programas televisivos em Portugal? E na Visita da Cornélia?

Devo dizer que estou a escrever este pequeno apontamento de sorriso nos lábios. E que, ao procurar um dos seus trabalhos para colocar aqui, já ri despudoradamente como não me lembro de rir. Piadas tão antigas e, contudo, tão cheias de graça e tão actuais algumas. Tal como já referi, é como se estivesse a ouvi-las pela primeira vez. É, seguramente, das maiores homenagens que lhe posso fazer; rir. Era esse o seu trabalho. E que bem o fez.

Foi, sem dúvida, UM COMEDIANTE GRANDE!

Recordemos alguns dos seus trabalhos já algo esquecidos...








1 comentário:

Tais Luso de Carvalho disse...

É verdade!!!! Lembro do Raul Solnado! Que boa lembrança, tinha esquecido... Era o máximo; grande Solnado!

beijos
tais luso