segunda-feira, 3 de agosto de 2009

O Sol do meu jardim

(Imagem: "Gato com sol" de Aldemir Martins)

Experimento o sol radioso que se alonga pelo meu jardim.

Envolve-me a pele do rosto, dos braços, das pernas

e sinto que me acaricia de forma urgente, inadiável,

sem subtilezas, finuras ou rodeios. Escaldante.

Eu, deixo-me consumir neste amargo-doce

e desprendo-me de mim.

10 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Lindíssimo.

Donagata disse...

Obrigada.

susana disse...

Até eu me senti meio languida... Que pinta.

Donagata disse...

É do Sol...

pin gente disse...

que delícia(s)

beijos!

Donagata disse...

Obrigada. Gostei que gostasses.

wallper.lima disse...

Muito linda!
Amei quando vc diz:

- "Deixo-me consumir neste amargo-doce
desprendo-me de mim",

Sentir o calor do sol na pele, a quentura dos raios, doce por ser gostoso sentir, e se ver livre, solta, ali tranquila no jardim.
Bjs.
Wal.

Donagata disse...

Agradeço tão doces palavras, Wall.
Beijos.

Tia_Cunhada disse...

Soube bem só de ler...

Donagata disse...

O Sol sabe sempre bem. É o sol e o mar.