sexta-feira, 14 de agosto de 2009

“A Ofensa” de Ricardo Menéndez Salmón


Experimentei a leitura deste livro por ter sido considerado por diversos órgãos de comunicação como o melhor romance espanhol de 2007. Além disso ganhou vários prémios de prestigio.

Como gosto de experimentar autores novos, lá chegou a sua vez.

É um livro pequeno com as suas 128 páginas mas deveras intenso. Direi mesmo algo inquietante, estranho. E, todavia, tão real.

Aborda essencialmente a análise do Medo e a forma como este afecta o ser humano. Portanto intenso e tremendamente emotivo.

Tudo se passa em torno de uma personagem, Kurt Kruwel. É alemão, alfaiate, vive com o pai, mãe e irmã, tem uma namorada (judia), toca na Igreja local e, de um instante para o outro, porque deflagra a II Guerra Mundial, se vê impulsionado para algo que lhe é completamente estranho.

Passa de uma vida calma, programada, estável, sem ambições, em que tudo corria automaticamente, para algo para o qual não estava minimamente preparado. A guerra com todos os seus horrores inacreditáveis.

Confrontado com uma primeira situação que não consegue suportar, soçobra completamente e perde a sensibilidade física e emocional.

Interessante a forma como nos é apresentada esta guerra. É-nos dada uma perspectiva muito incomum do agressor, do alemão que, neste caso é também a vítima.

Tem um pequeno apontamento de romance, assaz estranho, e prossegue para um final, no meu ponto de vista, um pouco fantasioso demais. Sai dos parâmetros do real para o incontestável fantástico.

Mas será que saiu? Será a realidade do enredo ou o sonho da personagem?

Fica a questão para ser respondida por quem o ler a seguir.

Sem comentários: