quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Reposição da verdade (espero eu)


Imagem daqui


Recebi há dias um e-mail que me deixou imediatamente empolgada e curiosa uma vez que gosto de tudo o que se refere aos fenómenos astronómicos. Encantam-me pela sua magnitude e, quiçá, pela minha incapacidade de a abranger! Além disso vinha em momento deveras oportuno ou não estivéssemos no Ano Internacional da Astronomia.

Agora atentem. A mensagem rezava assim:

Duas Luas no Céu

No dia 27 de Agosto, a meia noite e meia, olhe para o céu,

O planeta Marte será a estrela mais brilhante do céu, e será tão grande quanto a lua cheia, e estará a 55,75 milhões de quilómetros da terra.

Não perca!!

Será como se a terra tivesse duas luas, e este acontecimento só se produzirá no ano de 2287.

Divulgue esta informação, pois nem

todos terão a oportunidade de rever.

Pois desiludam-se meus amigos eventuais apreciadores destes fenómenos.

Dada a curiosidade que me suscitou procurei mais informação e, bastou-me um pequeno percurso pelos sites de astronomia, pelos sérios, para perceber que realmente o fenómeno existe, ocorre, ou seja ocorreu no dia 27 de Agosto de 2003!!!

Além disso, embora Marte fosse aparecer (tenha aparecido) maior e mais brilhante, nenhum site dizia que se confundiria com a lua cheia (e não confundiu).

É um acontecimento, de facto muito raro. Desta forma, já não acontecia há quase 60 000 anos, pelo que presumo que quem não o observou em 2003 irá ter escassas oportunidades de o observar. Isto sou eu a dizer, claro…


Estas oposições, nome que tem este fenómeno porque, visto da Terra, Marte se encontra em oposição ao Sol, acontecem com frequência mas sempre com distâncias variáveis e não tão favoráveis quanto em 2003 em que Marte se encontrou "apenas" a 55.780.000 quilómetros da Terra.

Tão pertinho! É verdade. É que a distância média entre os dois planetas é de cerca de 56 milhões de quilómetros...

Os cientistas prevêem que a aproximação mais próxima (desculpem esta espécie de pleonasmo mas não me apetece reformular a frase) em distância e em tempo seja no ano de 2729 em que Marte ficará a uns escassos 55.651.000 quilómetros da Terra!

Fantástico! Mais perto ainda! (Quem me disse que pretendem extinguir os pontos de exclamação? E depois, hein? Como é que faço?!!!)

Bom, voltemos à vaca fria. Estas “notícias”, como tantas outras que deambulam ciclicamente pelas nossas caixas de correio servem apenas para nos fazer perder tempo que poderíamos utilizar de forma mais agradável e, neste caso concreto, ao criar falsas expectativas em leigos, como eu, acabam por desacreditar os astrónomos que nos "teriam iludido" com as suas “previsões incorrectas” e, consequentemente, uma Ciência tão importante e mãe de algumas outras, a Astronomia.

Oh meus amigos, tenhamos critério e contenção nos e-mails que difundimos!

5 comentários:

Alien Taco disse...

bota força nas estrelas, bom astral minha irmã,saravá

abraço klingoniano

o espaço é a última fronteira.

A.Teixeira disse...

Amén para esse teu último voto!

E ainda mais um ponto de exclamação: Pimba!

Em solidariedade com o teu antepenúltimo parágrafo...

Donagata disse...

Obrigada. Sabia que me ias entender.

Anónimo disse...

Olá, Donagata!
Deixo aqui o link para o blog astroPt onde podem ler mais sobre este fantástico fenómeno de duas luas no céu ;) http://astropt.org/blog/2007/08/26/marte-tao-grande-como-a-lua-no-ceu/
Ciao,
joana

Donagata disse...

Muito obrigada. Saudações!!!
Vou ver se gravo, agora. Beijos