segunda-feira, 21 de julho de 2008

Rejubilem! O problema não está na genética!


Continuamos num momento em que os olhares de muitos estão ainda inclinados para a análise crítica do grau de proficiência dos nossos alunos sobretudo na área, sempre delicada, da Matemática. Assim, após um estudo cuidadoso dos resultados do PISA (Programme International for Student Assessment)2006 cujo enfoque se centra sobretudo na área das ciências e depois de relembrados os de2000, mais virados para a literacia na língua materna e os de 2003 centrados sobretudo no estudo da Matemática, concluí o que era já, mais ou menos, do conhecimento geral:
A situação média dos resultados dos estudantes portugueses, sobretudo no que concerne à literacia matemática, continua a ser preocupante se comparada com os alunos dos países da OCDE e alguns outros que também aderiram ao estudo.

Nota: No estudo de 2003, exactamente aquele cujo enfoque se centrou na Matemática, não foram publicados os resultados do Reino Unido uma vez que não estavam compatíveis com as taxas mínimas de resposta acordadas pelos países da OCDE para que os resultados deste estudo fossem fiáveis e internacionalmente comparáveis.

Várias estratégias estão a procurar ser desenvolvidas nas escolas tentando ultrapassar este estado indesejável (algumas começam, aparentemente, a dar os seus frutos), mas, há sempre a tendência de ficar com a ideia que nós, portugueses, sofremos de algum problema genético que faz com que os professores sejam incapazes de ensinar, de motivar os alunos e estes, por sua vez, se apresentem totalmente desprovidos “daqueles neuroniozinhos” que lhes possibilitariam adquirir tão preciosas competências.

Rejubilem, meus amigos. Não é bem assim. Afinal há incompetentes em todas as línguas!
Aqui vão alguns exemplos. Imaginativos, sem dúvida, mas denotando uma total falta de competências matemáticas e científicas
.

2 comentários:

susana disse...

Bem... e ando eu a incomodar-me com o facto das pessoas não saberem porque não se devem usar óculos de piscina e braçadeiras na adaptação ao meio aquático!

Donagata disse...

Pois é. mas pelo menos já fica com uma luzinha. O problema também não deve ser da genética.