sexta-feira, 4 de julho de 2008

"Poesia in Progress"

Mais uma sessão de “Poesia in Progress”e mais uma participação minha.
Desta vez destinava-se a divulgar novos talentos (e há tantos!) que andam por aí perdidos, esquecidos, guardados em gavetas, sem que lhes seja dada a oportunidade de se mostrarem.
Como sempre, a Poetria (leia-se Dina), com a sua extraordinária sensibilidade e amor pela poesia, lembrou-se de lhes abrir uma janela (a esses poetas escondidos).

E lá fui eu. Desta vez coube-me dizer poemas de Ruth Ministro. Uma jovem, e passo a citá-la, “Apaixonada por todas as formas de cristalização da arte, sempre usou a escrita como meio de eternização dos estados de alma. Os sentimentos são a sua matéria-prima, a poesia a obra final”.
Mais conhecida no meio bloguístico por Nuvem, por ter sido através do seu blog, “A minha nuvem”, que começou a partilhar com todos as suas palavras. Desenvolve-as concretizando sentimentos, emoções, estados de alma, de uma forma simples, sem floreados desnecessários, profundamente sentida, mas de efeito belíssimo e tremendamente envolvente.

Tive sorte, portanto, com os poemas que me couberam. Espero que a Nuvem tenha sentido que teve a mesma sorte com a forma como foram ditos.
Terminei a minha participação dizendo um poema diferente. Repleto de paixão, muito forte, mas mais hermético, mais enigmático, pejado de mensagem, um hino à saudade… Portanto, muito mais delicado de dizer. Nestes casos é sempre difícil para quem diz saber se entrou no espírito do poema, se lhe descobriu totalmente a alma.

O poema é de César Augusto e trata-se de uma homenagem a Garcia Lorca.
Espero, muito sinceramente, que não tenha sido para o César uma desilusão a forma como procurei interpretá-lo…

8 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Parabéns à Nuvem. Que sorte para quem escreve ter os seus poemas ditos pela Donagata!

Donagata disse...

São os teus olhos, Sofia!
De qualquer modo obrigada pela confiança.

Um beijo.

Alda M. Maia disse...

Parabéns à autora e à intérprete das poesias.
Parabéns sinceros, também, pelo modo inteligente como preenche o seu tempo. Admiro-a, sabe!
Um beijinho

Donagata disse...

Obrigada Alda Maria. Estou até um pouco vaidosa por suscitar a sua admiração. A verdade é que eu não gosto de parar e a vida é para ser vivida e não para a deixarmos passar por nós. Por isso me entrego a coisas tão diversificadas mas que me dão imenso prazer e me permitem encontrar pessoas surpreendentemente interessantes; como a Alda Maria, por exemplo.
Um beijo e uma boa semana.

BlueVelvet disse...

Vim agradecer a sua visita e tive várias agradáveis surpresas:
uma o seu blog de que gostei muito, outra descobrir que já se dizem poemas da Ruth que sigo desde os primeiros tempos de blog, e que adoro, e por fim, last but not the least ver que partilhamos o mesmo amor incondicional por animais.
Voltarei.
Veludinhos azuis

BlueVelvet disse...

Voltei para perguntar uma coisa:os poemas da Ruth já estão editados em livro?
É que ela é tão discreta que não diz:)))
Veludinhos azuis

Donagata disse...

Obrigada, bluevelvet pela visita e pelas suas palavras agradáveis.
Eu também sigo atentamente os poemas da Ruth, os quais me tenho empenhado em divulgar o mais possível.

Têm tido muito boa aceitação nos locais onde os digo mas ainda não foram publicados.

Vamos ver se entretanto chamam a atenção de alguém que os queira publicar.
Um beijo

nuvem disse...

Eu hoje de tarde estive por aqui a ler os posts que me tinham falhado, mas este passou-me despercebido...

Muito obrigada pela forma sempre gentil e ternurenta com que retrata a minha poesia, e um agradecimento sem tamanho pela beleza que lhe dá quando lhe empresta a sua voz.

Mil beijinhos