sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Racionais!... Quem?


WE COUD LEARN

SO MUCH


WITH THEM...


(Imagens recebidas por E-mail)

Quase todos os dias,ao abrir o meu E-mail, sou confrontada com apelos à minha sensibilidade no sentido de procurar soluções para resgatar um ou vários animais de situações de abandono e maus tratos, por vezes absolutamente inconcebíveis.

É portanto frequente dar início ao meu dia com um misto de raiva e vergonha.
Raiva por ver quão maltratados são alguns animais(sobretudo cães, aparentemente a natureza dotou os felinos de melhores capacidades de defesa), sujeitos a todo o género de sevícias apenas porque confiam...
Pois é, a confiança é o que os torna vulneráveis. Vulneráveis ao abandono, ao espancamento, às queimaduras com pontas de cigarro ou outras, à cegueira propositada... E penso que é melhor não prosseguir, a raiva cresce!
Raiva por não poder actuar em relação às criaturas que tratam seres vivos desta forma.
Raiva por ver a inacção generalizada das autoridades competentes em relação ao problema dos animais abandonados, carecendo, como habitualmente, da boa vontade e da disponibilidade de alguns.

Ao mesmo tempo vem a vergonha. Vergonha por permitir que isto aconteça: com o meu silêncio, com o meu comodismo com o meu alheamento.
Vergonha por fazer parte duma espécie, dita “humana”, na qual também se incluem indivíduos capazes de semelhantes atrocidades.
Vergonha por não correspondermos, nem por alto, àquilo que os animais esperam de nós...

E a frustração! É, de tudo, o pior. Tanto que gostaria de fazer e é tão insuficiente o que me é possível.
E aqueles olhos! Confiantes, cheios de esperança e de entrega. Que equívoco tremendo! Só me apetece perguntar: Afinal quem é racional aqui? O das convenções?
Alguns, poucos, provavelmente os mais fustigados, olham desalentados. Já desistiram. Partem-me o coração.

Já entramos no século XXI! Contudo, por cá, no que concerne ao respeito que os animais nos devem merecer, sinto que continuamos em plena idade média.
Não precisamos de os amar, apenas temos que os respeitar!

Não posso nem quero terminar este poste sem deixar uma palavra de apreço pelas pessoas que, a troco de um enorme desgaste psicológico, maçadas, gastos de tempo e de dinheiro, na maioria das vezes sem apoios significativos e/ou sistemáticos, procuram diminuir o número de animais abandonados e maltratados tentando proporcionar-lhes, quando não um lar, pelo menos condições dignas de vida, livres do sadismo que grassa por aí.

Muito temos ainda a aprender com os nossos queridos animais!

1 comentário:

Anónimo disse...

Ola Sra Donagata :) ...

Imagens q falam por Mil palavras ... Imagens q nos mostram o quanto por vezes somos pequenos ...
Imagens Maravilhosas :) ...

Beijo , A.B.