sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Idade Média no seu melhor

(Imagem: Um dos meus gatos num momento feliz)
Nem de propósito. Ainda no rescaldo do meu mal humorado poste de ontem eis que sou alertada para uma notícia do dia 23 no Jornal de Notícias.

Segue um excerto:

«... no dia de carnaval, os organizadores "caçam" um gato na rua e metem-no num cântaro de barro, onde fica fechado até à hora da festa. Depois, no largo da aldeia, há um mastro forrado com palha, e o cântaro é elevado por cordas, até ao cimo do pau altaneiro. No fim do desfile do carnaval é lançado o fogo ao mastro, que queima a palha e depois a corda que segura o cântaro. O púcaro de barro cai e desfaz-se em mil cacos. É então que o gato, sentindo-se livre, corre desnorteado, tendo ainda à perna foliões mascarados que o perseguem, alguns de paus e tenazes na mão, tentando apanhá-lo.» ("Jornal de Notícias", edição de 23/01/2008, http://jn.sapo.pt/2008/01/23/norte/crueldade_gato_abre_polemica_campia.html ).


É assim que as “pessoas” se divertem no Carnaval em Campia, Vouzela, localidade pertencente ao distrito de Viseu.
Espectacular! É sempre do melhor quando se espancam e maltratam os mais fracos, os mais vulneráveis, aqueles que não se podem defender e estão sujeitos à nossa boa formação e sensibilidade.
Não consigo imaginar nada de mais divertido. A não ser, sei lá, partir uma perna...

Sem comentários: