segunda-feira, 30 de março de 2009

“Como o Soldado Conserta o Gramofone” de Sasa Stanisic


Adorei o livro.

Livro auto-biográfico, muitíssimo bem escrito, que recorre a Alexander (que na minha opinião protagoniza o próprio autor), uma criança invulgar, para recuperar as memórias de uma guerra com todos os seus horrores.

Natural de uma pequena cidade Bósnia onde vivia quando estalaram os conflitos com a Sérvia, Alexander assiste a alguns momentos da guerra que se instala antes de fugir com a sua família para o sul da Alemanha.

São as suas memórias que aqui podemos ler. Simplesmente, essas memórias são-nos transmitidas de uma forma tão pueril, tão poética e por vezes até tão cómica que torna o que é narrado absolutamente hediondo; um murro no estômago. Torna-se dificílimo suportar o relato das atrocidades inerentes à guerra, contadas da forma ligeira com que normalmente nos surgem as recordações de infância.

Nem o facto de Alexander, um rapaz que, tal como o seu avô, adora contar histórias e, como tal, vai salpicando as suas memórias de fantasia, torna o relato menos avassalador.

É talvez esse o segredo do livro; contar-nos a guerra sem nos sovar com as enormidades nela cometidas tornando-a assim mais insuportável.

Irei estar atenta a esta nova vaga de escritores que surge de Leste. A amostra promete.

Sem comentários: