domingo, 8 de fevereiro de 2009

Living Tales


Hoje fui assistir a um concerto assim um tanto ou quanto por ir. A vontade era pouca pois estava bastante triste, a expectativa também não era por aí além, o frio era muito…. Bom, mas como conhecia o guitarrista (esse, sabia eu, muito bom), toca lá de ir para compor a assistência.

Oh meus amigos! É daquelas coisas que não acontecem nunca. Mas, a mim aconteceu-me. O concerto foi fantástico! Até me apetece utilizar uma palavra nova mas muito adequada ao caso: O concerto foi FABULÁSTICO!

Tenho assistido a concertos de consagrados com muito menos qualidade do que vi neste.

A música original era muito boa, os trechos que recriaram estavam fabulosamente bem adaptados, e os músicos revelaram-se de uma qualidade incrível.

O aspecto cénico do concerto estava bem cuidado, coisa que por vezes é considerada secundária, erradamente, e a voz da Filipa, embora forçada a grandes amplitudes e diferentes registos (onde, por vezes, sobretudo no início, notei pequenas falhas), mesmo assim acompanhou muito razoavelmente a parte instrumental que me deixou, tenho de repetir, embasbacada.

Pois bem trata-se dos “Living Tales” e caracterizam-se assim:

“…um verdadeiro coktail de estilos rock, desde o progressivo, até ao gótico e sinfónico…”

O projecto teve o seu início em Dezembro de 2007 com Cristiano (baixo), Diogo (bateria) e Luís (Guitarra). Após dois meses de composições, a necessidade de fortalecer as suas harmonias, levou a que o Paulo se juntasse ao projecto ocupando o lugar de teclista. Nesta altura a banda contava já com 3 temas originais bem delineados e começava a trabalhar numa versão que integraria o seu repertório. Mais tarde, com a necessidade de dar voz ás suas histórias, juntou-se ao projecto a Filipa, em Fevereiro de 2008.

Actualmente, os “living Tales” procuram uma sonoridade no que respeita ao panorama do rock nacional, explorando temas longos, primando em todos eles pela eloquência e dinâmica entre a música e a letra. Desta forma, Living Tales, continuará a sua longa jornada…e até mais ver, se tudo se proporcionar, esperamos que cada vez mais tenham novas nossas…

Se puderem, não percam. Vale a pena.

6 comentários:

Paulo Oliveira disse...

Bem... é qualquer coisa de espectacular ler um blog no qual no qual nos elogiam desta forma. Sou o teclista dos Living Tales, e gostava de agradecer do fundo do coração todo o apoio. Muito obrigado, e espero que esteja presente em muitos mais concertos nossos.
Com os melhores cumprimentos.

Paulo Oliveira

Luis disse...

Que poderei eu acrescentar ao comentário do Paulo... é dificil, relamente é aquilo que chamo de choque positivo, sabiamos que tinhamos agradado muita gente no final do concerto, mas nunca pensamos receber tamanho elogio... pelo que, no meu entender, a melhor forma que existe de retribuir, não será mais do que continuar a trabalhar para fazer mais e melhor, para que o futuro nos permita partilhar momentos tão bons como este com pessoas excepcionais e fantasticas como a "Dona Gata"...

Muito Obrigado pelo apoio, o carinho e as palavras de apreço aqui expressas...
Um beijinho grande...
Luis...Living Tales

nuvem disse...

Pronto, só faltaram as lágrimas no canto do olho :) Já derreteu os durões todos, aquilo é só fachada de palco, depois são uns corações de manteiga...

O concerto foi realmente muito bom. Valeu a pena, principalmente quando se tem a felicidade de ver um amigo querido, e de tão longa data, a concretizar um sonho merecidamente :)

E lá estaremos todos para os próximos!

Beijinhos

Donagata disse...

Eu só gostava de saber é como os meninos deram com o "elogio"! Andavam distraídinhos pela internet e, eis senão quando, aparece este "conhecidíssimo" blog a falar deles!!!! Que belo acaso!!!

Gostei que, quer o Luís (que eu já conheço e a quem cumprimentei até por sms) quer o Paulo Oliveira, tenham lido este post que, não sei se repararam, não pude deixar de colocar logo que cheguei a casa.
É que tudo o que eu digo no post é absolutamente verdade. Adorei a música e, sobretudo, a qualidade com que foi executada. Devo dizer, sem qualquer demérito para ninguém, que foram os dois, os meus executores favoritos em conjunto com a bateria.

Continuem. Seria um a grande perda privarem-nos do vosso talento.

Quanto a mim, ganharam uma fã incondicional.

Anónimo disse...

Bem...é bom saber que o nosso trabalho e empenho é reconhecido e apreciado por outras pessoas. Desde já o meu muito obrigado! A mim cabe-me apenas continuar a dar o meu melhor, e isso eu posso garantir!Ninguém nasce ensinado...e sendo nova e tendo uma vida pela frente, quero continuar a lutar por um sonho e ser cada dia melhor...obrigado pela sinceridade...são sempre boas as criticas quando construtivas e quando me fazem crescer como cantora e como pessoa...obrigada!

Cumprimentos..Filipa Coelho

Donagata disse...

Filipa. Peço desculpa se, de alguma forma,feri a sua susceptibilidade. Não era essa, seguramente, a minha intenção. Gostei mesmo muito do concerto na sua TOTALIDADE (incluindo, portanto, a Filipa). Contudo, sobretudo no início, talvez porque a voz ainda não estivesse suficientemente aquecida, ou pela ansiedade, ou fosse lá pelo que fosse, foi-me possível notar pequenos deslizes. Atenção que eu não percebo nada de música a não ser como apreciadora...
Não são, porém, de estranhar esses "deslizes". Na minha opinião, as músicas que tem que cantar são terrivelmente exigentes quer quanto à amplitude de voz que tem de ter, quer quanto à intensidade sobretudo em alguns momentos.E ter a mesma qualidade, a mesma intensidade e a mesma afinação nos registos que lhe são exigidos, é obra. Apreciei também o seu trabalho. Aliás, não se terá dado conta, mas fui especificamente cumprimentá-la, já na sala, antes de sair pois considerei o seu trabalho muito ingrato sobretudo quando inserido num grupo instrumental de tamanho padrão técnico.
Espero que não tenha ficado sentida ou desmotivada. Não há razão para tal. E, como diz, com trabalho superará essas eventuais falhas pois tem um excelente aparelho vocal.

Um beijo e, mais uma vez, parabéns.

Espero o próximo. Estarei nas primeiras filas, seguramente.