terça-feira, 21 de agosto de 2007

Esta pessoa que sou

( Desespero, de Linda Torres, México 2004 )

Mais um dia que acabou
Um dia calmo, indolente
E esta pessoa que eu sou
Sufoca, arde impaciente.

É uma quietude perdida
Uma agitação crescente
Que enche a alma, dorida
Que chora de raiva ardente.

E na garganta se prende
Este nó que vai crescendo
Que me fere, que me exaure
Numa dor que não entendo.

E esta fúria que não pára
Que a quietação apagou
Esta irritação insana
Nesta pessoa que eu sou,

Tem de recuar, de fingir,
De serenar, aquietar
De disfarçar, de sorrir…
E outro dia começar.

Donagata em 2007-08-20

Sem comentários: