quarta-feira, 15 de agosto de 2007

Acordar com Utopia


(Cat on a yellow pillow - Franz Marc)


É manhã
Acordo lenta e preguiçosamente.
Algo me embala
Algo me afaga o, ainda, inconsciente.
È um som
È suave,
É doce,
É um ronrom meigo
De quem me quer acordada
Sem que realmente acorde!

Estendo a mão
E faço deslizar
Lentamente,
Os meus dedos
Pelo teu dorso.
Sinto o teu pelo,
Suave,
Macio.
Repito o gesto,
Voluptuosamente,
Da cabeça à ponta da cauda

Abro os olhos,
Devagar,
E encontro o brilho dos teus,
Intenso,
Verde,
Enigmático,
Profundo.
Sorris para mim,
Rebolas dengosamente,
E ofereces-me a seda do teu ventre.

Perco os dedos nessa maciesa
Enquanto manténs o teu sorriso
Estás feliz como só os gatos sabem estar!
Paro o afago,
Ainda ensonada.
Deixo a mão esquecida no lençol.
Cuidadosamente,
Pousas nela a tua cabeça.
Suspiras longamente,
Vais apagando a luz verde do teu olhar
E, perdemo-nos ambas,
Mais uma vez,
Na terra dos sonhos.

Versos oferecidos à minha gata Utopia pelos fabulosos despertares que me tem proporcionado.
Donagata em 15/08/2007