quarta-feira, 26 de maio de 2010

Os melros



Escuto o cantar alegre dos melros,

(julgo que melros),

feito de agudas estridências.

Espreito-os da janela

(e sim, são melros)

em corridas negras e de ouro,

feitas de tantas urgências.

E busco em mim o eco dos seus cantares

o fulgor do seu viver,

de ser.

Encontro apenas os restos dos meus pesares.

2 comentários:

pin gente disse...

gostei.

conselho: olhar o ourado bico e receber a luz!

Donagata disse...

Aceite...