terça-feira, 17 de junho de 2008

Ainda a "Biblioteca de Alexandria" Curiosidades

Um dos incêndios

Conta-se que um dos incêndios que destruiu uma parte da biblioteca terá sido provocado, embora não intencionalmente, por Júlio César.

Quando em perseguição do seu inimigo de triunvirato, Pompeu ( primeiro triunvirato composto por Júlio César, Pompeu e Marco Lúcio Crasso), César chega a Alexandria, governada na época por Ptolomeu XII, irmão de Cleópatra.

Pompeu acabou por ser decapitado pelos tutores do jovem faraó julgando este que assim ganharia os favores de Júlio César. Então, como comprovativo da sua “ajuda”, envia - lhe a cabeça de Pompeu bem como o seu anel.

César fica horrorizado com a crueldade da atitude, embora lhe tenha dado jeito, e predisposto a destronar Ptolomeu XII sobretudo depois de ter conhecido Cleópatra VII por quem se apaixonou irremediavelmente (o Egipto teve como faraós 14 Ptolomeus e 7 Cleópatras, embora, normalmente, se conheça apenas uma; a que fez perderem-se de amores quer Júlio César quer, mais tarde Marco António um dos elementos do 2º triunvirato. Segundo a conhecida lenda, acaba por se suicidar após derrotada por Octávio na batalha naval do Áccio, tornando-se assim definitivamente, o Egipto, parte do Império romano).

Consegue, através da força, colocá-la no poder.

Os tutores do jovem faraó, que se opunham à deposição deste, são mortos, mas um consegue fugir. Então, para que não houvesse a mínima possibilidade de escape, Júlio César manda incendiar todos os navios incluindo os seus.
O incêndio alastrou-se, tendo atingido uma parte da biblioteca ou destruído obras que se encontravam ainda em barcos para lá serem colocadas (encontrei ambas as versões).

2 comentários:

Emanuel Pereira disse...

Mas isto é assim??
Qual é a validade dum episódio histórico narrado com dois finais? hmm?

=)

Muito interessantes os temas e variados. Só à tua custa já adicionei uma destas barras laterais para os blogs de amigos. ihih

Beijo

Donagata disse...

O mais provável é terem ocorrido ambas as situações. Só que, por vezes, dado o fraccionamento dos documentos escritos, são susceptiveis de interpretações diversas. Como sabes anda sempre muita lenda e muita tradição associada à História e, por estranho que pareça, por vezes essas lendas e tradições,dão contributos preciosos à interpretação dos factos históricos. Só que, por vezes, são também difíceis de separar...

Um beijo.
Obrigada pela visita.