quinta-feira, 19 de novembro de 2009

“Rapto na noite de Natal” Mary Higgings Clark e Carol Higgings ClarK


Que coisa mais aborrecida esta de habituarmos o nosso paladar literário a iguarias requintadas, àquilo que é verdadeiramente “exquisite”!!! É que depois, quando queremos ler um daqueles livros que sabemos à partida serem “ligeirinhos” mas têm a função de nos descontrair, de nos divertir enfim, não exigem muito quanto não temos muito para dar, e que habitualmente até costumavam saber bem….

Pois é, não sabem! Constata-se que, na realidade não sabem a quase nada.

Sentimos que provamos uma prosa corriqueira embora a mostrar um enredo engraçado, com relativa imaginação (convenhamos que no género policial/thriller, em termos temáticos já não há muito que inventar. Há é na forma de expor esses temas!), em relação ao qual vamos perdendo o interesse dada, como já referi, a forma como nos é servido e o expectável do que vamos encontrar. Enfim, sobretudo no início, é de uma insipidez deveras aborrecida.

A verdade é que depois de algum tempo a usufruir das iguarias literárias mais rebuscadas, passar para um prato fraquinho, sem quaisquer requintes de confecção… bem, custa um pouco.

Mas eu, que sou uma pessoa determinada, insisti. Até porque, o curioso no meio disto tudo, é que eu já li e até gostei de alguns dos livros da autora Mary Higgings Clark que aqui surge a escrever em parceria com a filha!

Divertiram-me, distraíram-me enquanto os lia. Ou seja, cumpriram a sua função no momento, dado que era para isso que eu os lia.

Bom, a verdade é que, como disse, li o livrinho todo até ao fim que eu cá não sou de deixar as coisas pela metade, e acabei por lhe achar até uma certa graça. É claro que se adivinha facilmente o fim, é também claro que há uns tantos romances que se desenvolvem pelo caminho… Até porque, digamos em abono da verdade, é o mais natural!

Em momentos de crise em que a própria vida ou a de entes queridos está em risco, a pessoa que é verdadeiramente pessoa, Apaixona-se!

Bom, mas afinal até cumpriu a função a que se destinava. Distraiu-me.

Já viram? Enquanto pensava nestas coisas todas estava completamente distraída! E mais, bem humorada!

5 comentários:

susana disse...

Pronto. Este então não.

Bj

Perla disse...

Ah!
Já tinha saudades de vir aqui...
.
Os livros por vezes são uma ajuda
.
Bom fim de semana

Bjinhos

BlueVelvet disse...

Anda tão distraída que nem pões os pés na minha casinha:(
Mas vim dizer-te para agarrares num cesto bem grande e apareceres lá por casa. Tens muita coisa para trazer. Alguns comuns e um só para ti.
Beijinhos

Donagata disse...

Blue Velvet, não é distraída. Procuro abstrair-me de coisas muito sérias que se passam na minha vida.

Daí não pôr os pés nem no teu blogue nem no de ninguém.
Já é um esforço grande manter o meu sem ficar muito deprimente.

Beijos. Lá irei. Devagarinho, mas irei a todos.

Donagata disse...

Susana, com coisas tão boas para ler e com o tempo algo escasso, estou que não.