terça-feira, 10 de novembro de 2009

Assim em jeito de tertúlia...


Pedro Lopes, como sempre no seu melhor... (Para quem vê, tocar até parece fácil!!!!)

Foi no domingo, dia 8 que, no Cube Literário do Porto, se deu início a uma série de eventos dinamizados pela Edita-me que têm como característica ser assim “uma espécie” de tertúlia.

Haverá pelo menos um autor convidado e a sua obra será posta em destaque e cavaqueada com o próprio autor ou autores.

É claro que eventos como estes vivem muito da participação da assistência, do seu conhecimento da obra e do autor ou autores e da interacção conseguida entre estas duas partes, faces diferentes da mesma moeda.

Eu estive lá.

Os autores convidados para esta primeira edição do evento foram Jorge Pópulo, autor do “Oráculo do fogo” livro que já tive oportunidade de aqui comentar como é meu hábito, e Luísa Azevedo com o seu livro de poesia “Pin- Uma explicação de ternura”.

Devo confessar que foi para mim uma agradável surpresa verificar o número simpático de pessoas que estava presente no Piano-bar num dia em que tudo convidadva a ficar no quentinho do lar.

Depois, conseguiu criar-se um ambiente de cumplicidade entre os autores e os leitores ou candidatos a leitores dos livros em destaque que proporcionou a todos quantos tiveram o privilégio de estar presentes, uma tarde entre amigos.

Como sempre, o editor/organizador, atento aos mais ínfimos pormenores, preparou-nos momentos que gozaram tanto do inesperado quanto do verdadeiramente bom e tiveram o condão de enriquecer grandemente o encontro.

Francamente gostei de tudo.

Houve bons momentos de discussão literária, mais ou menos aprofundada; leituras de textos belíssimos que foram, seguramente, apreciadas pela maioria; descrição e bom gosto nos detalhes que envolveram o evento.

Para mim, momento verdadeiramente alto, foi ouvir um poema do livro de Luísa Azevedo, já de si lindíssimo, cantado por alguém que, embora não ligado directamente ao mundo da música, o musicou e o interpretou de forma emocionante acompanhada ao piano pelo sempre presente e excelente músico Pedro Lopes.

Aguardo ansiosamente o próximo pois, se o primeiro foi assim, como serão os que se vão seguir uma vez que já irão beneficiar da boa experiência deste?

8 comentários:

susana disse...

E foi bem fresquinha para este encontro. Bem treinada!
;)

Donagata disse...

E de carinha lavada...

pin gente disse...

cara amiga donagata
muito se deve a ti o fluir da intervenção do público. obrigada por contribuires para o desinibir.
foi uma boa e bonita iniciativa da qual tive o prazer de participar.
bela a surpresa na voz da bianca almeida.
deixo um abraço
luísa

Donagata disse...

Obrigada pelo cumprimento. Na verdade, talvez tenha contribuído, de facto, para o fluir da conversa. Contudo, as palavras eram vossas, eram lindas e não foi difícil a coisa pegar.

Obrigada por aqui colocares o nome da Bianca Almeida que eu não recordava. Sou assim, eu, p+ara nomes.
Um beijo.

PedroLopes disse...

Que gajo tão bonito que tens nessa foto :D hahahahahhahaha

Jinh*s e obrigado pelo elogio ;)

Donagata disse...

É não é? E essencialmente de uma nodéstia estarrecedora!!!!!

Jokas. Não é elogio, é o que é....

Donagata disse...

Modéstia, claro, Pedro. Que nodéstia não sei o que é.

PedroLopes disse...

Olha eu também não sei, mas obrigado pelo elogio de me teres chamado nodesto :P

Jinh*s