quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Poema de José Luís Peixoto

(Imagem: loosing your shape in dry air by Mordiana)

na hora de pôr a mesa, éramos cinco:
o meu pai, a minha mãe, as minhas irmãs
e eu. depois, a minha irmã mais velha
casou-se. depois, a minha irmã mais nova
casou-se. depois, o meu pai morreu. hoje,
na hora de pôr a mesa, somos cinco,
menos a minha irmã mais velha que está
na casa dela, menos a minha irmã mais
nova que está na casa dela, menos o meu
pai, menos a minha mãe viúva, cada um
deles é um lugar vazio nesta mesa onde
como sozinho. mas irão estar sempre aqui.
na hora de pôr a mesa, seremos sempre cinco.
enquanto um de nós estiver vivo, seremos
sempre cinco.



José Luis Peixoto, in "a criança em ruínas"

9 comentários:

De Profundis disse...

Nunca consigo ler este poema sem que uma lágrima fugitiva me traia o sentir... Lindíssimo, como o é o mundo dos afectos, aqueles que nunca serão lugares vazios.

Donagata disse...

Acontece-me isso com alguns poemas. E este autor, que eu aprecio profundamente, tem o condão de nos "picar" os sentimentos, os afectos, por vezes até coisas que julgávamos esquecidas.

nuvem disse...

Já sabe que partilho a admiração por este autor, que li graças à sua dica. Tenho que ver se compro também este livro, para devorar sem moderação hehehe :)

Beijinhos, muitos!

Donagata disse...

A Dina tem. Se quiser que eu encomende!!!

Anónimo disse...

LINDO LINDO LINDO !!!
Ola Sra Donagata , boa noite !
Tenho a dizer q nao conhecia o Autor , mas q AMEI o Texto e o q ele Transmite !!!

Mto Obrigado por te-lo partilhado .. :)

Bjo , A.B.

Donagata disse...

Pois se não conhece devo dizer-lhe que vale mesmo a pena conhecer; quer como poeta quer como ficcionista. É muito bom.

Partilharei outros, certamente.

BlueVelvet disse...

Embora muito triste adoro este poema.
Faz-me sempre lembrar um de Pessoa, também muito triste. Aniversário:No TEMPO em que festejavam o dia dos meus anos, Eu era feliz e ninguém estava morto. ...
Beijinhos e bom fim-de-semana

Ti disse...

Mto bom! Obrigada, Donagata*

Donagata disse...

Obrigada a todos os que aqui perdem um tempinho.

Beijos.