segunda-feira, 8 de setembro de 2008

"O vento assobiando nas gruas" de Lídia Jorge


Na minha opinião é, provavelmente, o melhor livro que eu li da autora e, devo dizer, que tenho gostado de todos eles.

Romance que se centra em duas figuras principais, que representam duas faces bem diferentes da sociedade. Uma, a alta burguesia, os seus tabus, as suas intolerâncias, os seus egoísmos, o seu desinteresse, os seus esquemas, os seus subterfúgios para manter um status que lhe é inerente.

A outra, representa uma comunidade de cabo-verdianos , pobres, vivendo à custa do trabalho braçal, orgulhosos pela ascensão de um filho no mundo da música, mas também eles com os seus tabus, as suas restrições, as suas intolerâncias ,as suas perdas, os seus esquemas e a sua generosidade.

É através de uma destas duas personagens, Milene, mais preponderante do que a outra, que o leitor vai percorrendo o enredo, extremamente cativante, graças às sua excentricidades típicas de uma mente perturbada, bem como à linguagem simples e clara que a autora usa.

As personagens, como é já hábito, são de uma riqueza tal na sua construção que as torna quase reais.

Imperdível.

4 comentários:

Mar Arável disse...

A Lídia é uma grande escritora e uma grande mulher.Imperdível.

Donagata disse...

Concordo inteiramente.

antonio - o implume disse...

Anda cá por casa em leitura adiada, vou ter de o agarrar...

Donagata disse...

António, agarre-o que vale mesmo a pena.