quinta-feira, 11 de setembro de 2008

"Morte em Veneza" de Thomas Mann


Uma vez que penso visitar brevemente Veneza e um pouco por associação de ideias, resolvi ler o clássico “Morte em Veneza” do também prémio Nobel da literatura (1929) Thomas Mann.

Livro muito belo na sua forma de escrita. Profundo e de uma grande complexidade na exposição dos sentimentos e das emoções da personagem central. Aliás, no meu ponto de vista, muitos dos solilóquios que encontramos no livro poderão ser passíveis de interpretações diversas.

Já o enredo, esse é fraco, quase inexistente, mas também irrelevante para a qualidade da obra.

Gostei muito.

7 comentários:

Alda M. Maia disse...

Na próxima viagem a Veneza, se puder, no regresso, passe por Turim.
Por estar mais a norte, portanto fora das rotas habituais das viagens a Itália, esta cidade não é incluída nos itinerários. Não sabem o que perdem! É uma das mais lindas cidades de Itália. Só a visita ao museu egípcio já valeria um desvio - depois do museu do Cairo, dizem que é o mais importante. Importante ou não, o conteúdo é imponente e interessantíssimo.
Não sei quantas vezes percorri aquelas salas, mas cada vez que lá vou, é sempre com a mesma curiosidade e sentido de maravilha.
Além de óptimos museus, a cidade, repito, é esplêndida.
Estou a espicaçar o seu interesse!
Um beijinho
Alda

Donagata disse...

Obrigada pela dica. Vou com o tempo um pouco contado porque depois integro um cruzeiro. Contudo ainda ficarei uns dias por ali mesmo e tenciono ir a tudo o que conseguir.
Obrigada pela dica.
Beijos.

titofarpas disse...

Também achei o mesmo...
Um óptimo fim de semana.
Beijos

BlueVelvet disse...

Conheço muito bem Veneza, já li o livro e vi o filme.
Mas gosto de Veneza no verão. No Inverno deprime-me como o livro e o filme, belíssimos mas muito tristes.
Se esse cruzeiro que vai fazer passar por Santorini, dê-lhe os meus cumprimentos, beba um frappé por mim e veja aquela que considero a mais bonita ilha que já visitei na vida.
Parece ter sido feita, bocadinho a bocadinho pela mão de Deus.
Beijinhos

antonio - o implume disse...

Não embarques de gondola que é um roubo!

susana disse...

Ai que desactualizada que eu estou. Dexei de ser Bloyeur... mas consegui que nos pusessem a aula de tango à sexta. Fui eu que consegui, não fui?
Já quase não consigo ficar sentada!

Donagata disse...

Uau, tantos comentários. Obrigada a todos. Estive uns dias ausente e, por isso não respondi.