quinta-feira, 24 de junho de 2010

“As três vidas” de João Tordo


“As três vidas” de João Tordo

Li, há já uns tempos o livro citado e devo dizer que gostei.

Nada conhecia do autor e escolhi este livro por, habitualmente, ler as obras que, em cada ano, são ganhadoras do “Prémio Saramago”. Foi o caso deste em 2009.

Julgo, mais uma vez, estarmos em presença de um nome promissor na moderna ficção portuguesa.

De escrita simples, sem artifícios nem de linguagem nem outros que o tornem “distinto”, distingue-se, porém, na forma agradável e sábia como estrutura a trama/enredo.

O personagem, sempre anónimo, tal como um funâmbulo (excelente metáfora), vai percorrendo de forma bastante periclitante, sempre entre dúvidas, mistérios, amores, desamores, procuras, ausências… três momentos distintos da sua vida ditados pela indelével influência de um patrão e de um trabalho enigmáticos.

Um, passado no Alentejo que o autor muito bem descreve, sem artifícios exagerados. Outro em Nova Iorque, mais negro, mais sombrio e, o final, no “presente”, novamente em Lisboa, provavelmente o mais real, o menos envolto em névoa sem , contudo, deixar de manter a dose necessária de mistério e de bruma..

Julgo que o leitor nunca chega a ficar verdadeiramente esclarecido (eu creio não ter ficado…) acerca de todo aquele intrincado de mistérios e de personagens obscuras que vão desfilando à nossa frente. Porém, penso ser também esse um dos trunfos do enredo.

Uma agradável surpresa.

Sem comentários: