terça-feira, 27 de abril de 2010

Pensamento



Juntei o polegar ao indicador,
com muito cuidado,
dissimuladamente até,
para pegar no fio
desse furtivo pensamento.
Esse mesmo que me avassala
nas horas frágeis
da frágil madrugada da consciência.
Planeio puxá-lo.
Primeiro com muito jeito.
Depois, quando bem filado,
estripá-lo, arrancá-lo de mim
até que dele não reste
nem a mais leve recordação.

2 comentários:

Mar Arável disse...

Se for por bem

eu posso ajudar?

Donagata disse...

Ajuda que eu agradeço, creia.