domingo, 11 de abril de 2010

Bordar a vida


(Imagem: lenço dos namorados, típico de Viana do Castelo, Vila Verde em que realmente se bordam palavras...)

Pego em letras,
estéreis, quando isoladas,
e tricoto-as cuidadosamente
compondo velhas palavras.
Arranjo estas,
muito delicadamente,
bordando frases.
Pincelo-as com amor, ternura, ilusão,
medo, dor, amargura, solidão …
entrecruzo-as, umas nas outras,
(ponteando aqui e acolá)
em casamentos perfeitos,
em arroubos de paixão.

E assim, devagarinho e só,
sem mesmo me aperceber,
ponto a ponto, nó a nó,
cruzo, a rir ou a sofrer,
a vida que uso para viver.

Donagata 2010-04-08

4 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Lindíssimo, Donagata.

Donagata disse...

Obrigada.

pin gente disse...

como a pomba não buou
nosso amor num acabou



gostei muito do teu bordalo literário, donagata.
um beijo

Donagata disse...

Obrigada Luísa. Obrigada também pela correcção. Deve ser mesmo fome...