terça-feira, 27 de abril de 2010

De olhos fechados


Fechei os olhos lentamente
mas com tal força
como se de repente
não mais os quisesse descerrar.

Fiquei assim, a arquitectar
de que cor será o nada
que me irá encontrar.

4 comentários:

Tia disse...

Fabuloso...

Beijinho

Donagata disse...

Obrigada.

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Lindo!

pin gente disse...

o nada... tem a cor que lhe quisermos dar!


um beijo