quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Delicada textura de seda


(Imagem da autoria de Miguel Ministro que faz parte da ilustração do livro "Bordar a Vida")

Acordo inquieta.
Ajoujada sob o peso de culpas ignotas,
transida por medos que me calcam o peito
e transformam num acto crítico
o mero exercício de respirar.
E, à medida que abro os olhos, devagar,
e acordo para a lisa transparência da manhã,
tomo consciência de uma delicada textura de seda
que me afaga os dedos, o rosto…

E acordo,
agora já sem medos,
com as culpas banhadas pela claridade,
ainda que envergonhada,
que lhes confere indulto imediato,
feliz pelo afago doce dos meus gatos
a quem acaricio suave e lentamente enquanto sonho.

2 comentários:

Mar Arável disse...

Um belo amanhecer

Donagata disse...

Sem dúvida, Mar Arável, sem dúvida.