sábado, 8 de setembro de 2007

A propósito de livros

Imagem: Livros de Van Gogh

Tenho verificado que em vários blogues, os seus autores vão partilhando impressões e marcas que a leitura de alguns livros lhes deixaram. Positivas umas, negativas outras e ainda aqueles cuja leitura, aparentemente, não acrescentou absolutamente nada à pessoa que os leu (o que , na minha opinião, é bem pior do que deixar uma marca negativa).

Achei o assunto interessante e, dado que me considero uma leitora compulsiva e não sendo já, propriamente, uma jovem, possuo um vasto campo de análise.

Depois de alguma reflexão e da consulta de alguns, breves, comentários que, geralmente, deixo no início de cada livro depois de o ler, concluí o seguinte: Li livros de que gostei muito e que foram, de facto, marcantes numa determinada fase da minha vida (alguns dos quais não voltaria a ler agora sob pretexto nenhum); Li livros cuja leitura me deu um prazer imenso sem que me tenham acrescentado mais nada além do próprio prazer do acto de os ler; Li livros que detestei e, apesar disso, me marcaram profundamente (também não os releria); Li livros que me foram quase indiferentes e, esses, são os que considero de leitura menos proveitosa embora, apesar disso, não possa dizer que não me tenham acrescentado absolutamente nada; E finalmente, li aqueles que me preencheram, me deram prazer, me fizeram esquecer o mundo e que, volta não volta, vou reler, nem que sejam apenas alguns excertos (é verdade, eu sublinho passagens, faço comentários na margem, colo postits enfim, uma vergonha!), para avivar a memória.

Resta-me dizer que sou uma leitora ecléctica e que, para mim, tanto pode ser "classificado" nesta última categoria (os que gosto muito), um policial, como um romance, um ensaio, uma biografia, um livro de poemas ou outro. Só não suporto, mas é que não suporto mesmo, ler mau português.


E ainda a respeito dos livros, vejamos o que sobre eles dizem alguns autores:

“Um livro é um animal vivo”
Aristóteles

“É preciso olhar os livros por cima do ombro do autor”
Paul Valéry

“Já que não podemos ler tantos livros como os que podemos ter, basta que tenhamos tantos quantos possamos ler”
Séneca

“Pode-se avaliar a beleza de um livro pelo vigor dos safanões que ele nos deu e pelo tempo que levamos depois a recompor-nos.”
Gustave Flaubert

“Leio e estou liberto. Adquiro objectividade. Deixei de ser eu e disperso. E o que leio, em vez de ser um trajo meu que mal vejo e por vezes me pesa, é a grande clareza do mundo externo…”
Fernando Pessoa

“A título de consolação, como sempre, restam os livros, navios ligeiros e seguros, preparados para as errâncias através do tempo e do espaço, ou mesmo para além deles.
Desde que se tenha um livro à mão e o ócio da leitura, nenhuma situação pode ser desesperada nem completamente desprovida de liberdade.”
Ernst Jünger

“Não existe uma lista de livros que seja absolutamente necessário ter lido e sem os quais não haverá salvação nem cultura. O que existe, para cada homem, é um determinado número de livros nos quais só ele, esse homem singular, pode ir encontrando satisfação e prazer. Descobrir pouco a pouco esses livros, estabelecer com eles uma relação duradoura […] constitui para cada indivíduo tarefa pessoal e particular.”
Herman Hesse

“Os livros encantam-nos até à medula, falam-nos, dão-nos conselhos e ficam unidos a nós por uma espécie de familiaridade viva e harmoniosa.”
Francesco Petrarca

“Tenho muitas vezes observado este facto curioso: um livro, tomado ao acaso, traz-me sempre ecos das minhas actuais preocupações. Será que tudo existe num livro, mesmo num mau livro? Ou então que o acaso não existe e a nossa escolha, sem que o saibamos, é afinal guiada?”
Claude Mauriac

3 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Gosto particularmente de "o livro é um animal vivo". E por ser vivo é que nos interpela. Quando não o faz, será que chega a ser livro?

Clara Branco disse...

Obrigado por ter deixado um pouco de si no meu blog. De facto não teci no post nenhuma consideração à cerca do livro, na verdade, adquiri-o à pouquíssimo tempo, por indicação de uma amiga,que diz ser muito bom. Quando acabar, e até agora estou a gostar, prometo que deixo a opinião.
Gostei muito do seu blog. Parabéns!

Donagata disse...

Sofia
Também é o meu comentário preferido e, por isso ter vindo logo em primeiro lugar. Os restantes foram colocados de forma relativamente aleatória.

Clara
Obrigada por ter visitado o meu blog e por ter sido tão generosa no seu comentário.
Teremos certamente oportunidade de nos revisitarmos dado que temos pelo menos um interesse comum, os livros.