sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Carta à mãe

mamã (3/4 anos)
Às vezes
apetece-me tocar o sol com a ponta dos dedos.
Sentir a respiração doce da luz
e colocá-la a distância nenhuma dos sonhos.
Às vezes, tantas vezes,
apetece-me abraçar com força
a inconstância das nuvens
e colocá-las docemente nas margens da vida.
Às vezes, muitas vezes,
apetece-me parar
à distância do voo das aves
e prender bem forte o arquejo da vontade.
Às vezes, quase sempre,
apetece-me soprar o pó das lembranças,
deitar ainda a cabeça no teu colo
e esquecer o restolho dos dias.

Celeste Pereira



2015-08-06

2 comentários:

Mar Arável disse...

Memórias vivas

Donagata disse...

Sim, memórias. E sim, vivas....