segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Querer



O que eu queria, mas queria mesmo muito
com aquele querer que consome energias, acorda todas as vontades,
acende pressas e abre brechas na alma


aquele querer intenso que desassossega,
que empurra fúrias com um ruído murcho de flores de seda,
que conduz vidas ao comprido do tempo


com aquele querer em tons de rubro,
que incendeia o sangue, dilata veias, varre pudores
e provoca um bafo quase tangível, espesso, que quase dói


o que eu queria mesmo…


Era que parasse a chuva.

Estou farta!!!!

Sem comentários: