quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Poema inacabado


Outra noite, outra praia, outro bar, eu, não outra,
e o abismo de um poema inacabado... 
a mesma respiração, o mesmo apelo forte do mar,
o mesmo fragor, mais sereno, talvez, mais prenhe de mistério.
As mesmas cores mais outras, menos outras…
Outras gaivotas, as mesmas, outros sopros,
a lua, o mesmo paradoxo, outros muitos paradoxos,
o suave embalo da noite e o perfume denso das coisas densas de Verão.
As sombras menos sombras, menos tristes, outras sombras, música nas sombras…
e o mesmo abismo do mesmo poema inacabado…

3 comentários:

Mar Arável disse...

Um dia faremos um poema inteiro

Suzete Brainer disse...

Boa noite,

E o belo poema continua

nas páginas da vida,

transcendendo o abismo e

inscrevendo os renascimentos...

Eu fiquei muito encantada com

a sua escrita, em alguns

poemas lidos,me deixaram

muito emocionada. Sou uma

apreciadora da poesia essencial

que encontrei no seu espaço.

Abraço!

Ps:Sou apaixonada por gatos

e adorei o gatinho

preto atencioso...

Карина Семилеткина disse...

Great post :)

Do you want to follow each other, let me know?!

http://fkira.blogspot.ru/