terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Dia triste


Sinto as gotas grossas baterem desenfreadamente na vidraça!

O dia amanheceu chorando, cinzento.

Irado, abana as árvores que largam, impotentes, as folhas.

Estas elevam-se e revoluteiam sem remédio

junto com as pequenas esferas de granizo e as grossas lágrimas de chuva.


Solidário comigo, este dia, talvez.


Também eu acumulo grossas gotas na garganta

que se esforçam, até doer, por tombar pelo meu rosto.

Mas não tombam!

E enovelam-se bem cá no fundo formando uma imensa bola de dor.

Se ao menos corresse um vento que a empurrasse…

Se ao menos a conseguisse engolir e digerir…

Se ao menos a derramasse no dourado tapete de folhas que enfeita o chão…

Se ao menos…

Se ao menos o dia me mostrasse como…

(Fotografia minha: "Da minha janela")

4 comentários:

Sofia Loureiro dos Santos disse...

Um dia virão as torrentes que te faltam, essa água que inundará a dor.
Bjs

susana disse...

Apenas um beijo. Um abraço, uma ternura. Apenas um ombro, se assim o desejar.

Mar Arável disse...

Apesar de tudo

a chuva lubrifica a terra

é água em movimento

Sempre profundo o seu texto

Bj

Perfumes Bighouse disse...

Uma beijoca amigável para ti DonaGata. Elisabeth